São Paulo, SP, 17/06/2019
 
09/09/2013 - 13h58m

Acidentes de trânsito com dois ônibus da mesma empresa deixam 32 pessoas feridas

Agência Brasil 

Rio de Janeiro – Ao menos 26 pessoas ficaram feridas, duas delas em estado grave, em um acidente no início da manhã entre um ônibus articulado BRT, o bus rapid transit, e um coletivo convencional da linha 758 – Cascadura/Recreio -, na zona oeste do Rio. Segundo a assessoria da empresa que controla os BRTs, o coletivo que liga a zona norte à zona oeste teria avançado o semáforo. Todas as pessoas foram encaminhadas ao Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

O acidente aconteceu na altura da Estação BRT Interlagos. Com o impacto da colisão, o ônibus BRT foi parar na pista lateral da Avenida das Américas. A via, sentido Alvorada, ficou congestionada e três horas depois ainda apresentava lentidão. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, da Polícia Civil, fazem a perícia no local e só depois do trabalho concluído, os veículos serão retirados da pista.

Menos de uma hora depois deste acidente, na mesma via, um outro ônibus BRT bateu em um carro de passeio. A colisão aconteceu próximo à Estação Pontões, a cerca de 1 quilômetro do primeiro acidente e deixou seis pessoas feridas. As vítimas são o motorista e um acompanhante que estavam no carro, e quatro passageiros do ônibus. Elas foram levadas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Tijuca.

A Secretaria de Saúde do município informou que dos 32 feridos nos dois acidentes, levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, sete já tiveram alta. O estado de saúde dos que continuam internados é estável.

Na terça-feira (3) da semana passada, dezenas de usuários do BRT promoveram uma manifestação na Estação Magarça, interrompendo a circulação dos ônibus articulados por mais de cinco horas. As pessoas pediam melhorias no serviço e o aumento do número de coletivos para acabar com a superlotação nos ônibus.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro