São Paulo, SP, 05/12/2019
 
10/05/2012 - 11h05m

Advogados abandonam defesa e julgamento de dois acusados do caso Celso Daniel é adiado

Folhapress/Daniel Roncaglia 
Divulgação
Daniel foi encontrado morto com oito tiros numa estrada de terra em Juquitiba (SP), após dois dias de sequestro em janeiro de 2002
Daniel foi encontrado morto com oito tiros numa estrada de terra em Juquitiba (SP), após dois dias de sequestro em janeiro de 2002

SÃO PAULO, SP (Folhapress) - Os advogados de dois dos cinco réus que seriam julgados pela morte do prefeito de Santo André Celso Daniel (PT) abandonaram o júri marcado para começar hoje.

Daniel foi encontrado morto com oito tiros numa estrada de terra em Juquitiba (SP), após dois dias de sequestro em janeiro de 2002. Ele se preparava para assumir a coordenação da campanha do ex-presidente Lula.

Os réus Itamar Messias Silva dos Santos e Elcyd Oliveira Brito tiveram o julgamento remarcado para o dia 16 de agosto. Os advogados alegaram que teriam menos tempo de defesa do que a acusação. Como são cinco réus cada defensor teria direito a 30 minutos de sustentação oral, enquanto o Ministério Público terá duas horas e meia.

Os advogados já haviam pedido o desmembramento do julgamento na Justiça, que foi negado pelo juiz. Assim, as defesas decidiram abandonar o caso. "Eles [a acusação] têm horários e regras muito diferentes", disse a advogado Ana Lúcia dos Santos que defende Elcyd.

"Diante da situação, eu defini por bem abandonar o júri", disse Ailton Jacob, defensor de Itamar.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro