São Paulo, SP, 17/09/2019
 
25/02/2015 - 14h32m

Anvisa proíbe venda de lotes de suplementos vitamínicos minerais

Agência Brasil/Paula Laboissière 
Reprodução
Duas substâncias contidas nos suplementos não são especificadas na farmacopeia brasileira
Duas substâncias contidas nos suplementos não são especificadas na farmacopeia brasileira

Brasília - A resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada nesta quarta-feira (25) no Diário Oficial da União proíbe a distribuição e comercialização, em todo território nacional, dos lotes do produto Suplemento Vitamínico Mineral Quelatus que contêm nicotinato glicinato de cromo e selênio glicina complexado, fabricado por Eurofarma Laboratórios S.A.

De acordo com o texto, o nicotinato glicinato de cromo e o selênio glicina complexado são substâncias não especificadas na farmacopeia brasileira, em outras farmacopeias oficialmente reconhecidas e no Food Chemical Codex (manual de padrões reconhecidos internacionalmente referente à pureza e à identidade dos ingredientes alimentícios).

“A empresa fabricante não teve segurança e eficácia das substâncias supracitadas avaliadas e aprovadas pela Anvisa”, informou a agência.

Confira AQUI a publicação na íntegra.

Mais duas resoluções proíbem, pelas mesmas razões, a distribuição e comercialização, em todo território nacional, dos lotes do produto Suplemento Vitamínico Quelatus Sênior que contêm nicotinato glicinato de cromo e glicinato de selênio, também fabricado por Eurofarma Laboratórios S.A., e dos lotes do produto Suplemento Mineral Cromo que contêm cromo glicina complexado, fabricado por Maxinutri Laboratório Nutraceutico Ltda.

A Agência Brasil entrou em contato com a Eurofarma Laboratórios S.A. e aguarda um posicionamento da empresa. Na Maxinutri Laboratório Nutraceutico Ltda, ninguém atendeu às ligações.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro