São Paulo, SP, 18/11/2019
 
16/04/2016 - 10h27m

Apesar do ritmo lento na Câmara, Cunha garante votação de impeachment no domingo

Agência Brasil/Paulo Victor Chagas e Ivan Richard 
Agência Brasil/Wilson Dias
Com plenário praticamente vazio e ritmo lento, deputados se revezam para falar sobre impeachment
Com plenário praticamente vazio e ritmo lento, deputados se revezam para falar sobre impeachment

Brasília - O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), garantiu há pouco que a votação da admissibilidade do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff ocorrerá neste domingo (17).

Em decorrência do ritmo lento do transcorrer da fase de debates da proposta, alguns deputados manifestaram preocupação que não fosse possível votar o impeachment no domingo.

Pouco depois da meia noite, após iniciar a quarta sessão deliberativa da fase de discussão do impeachment, Cunha afirmou que, se necessário, encerrará a fase de discursos dos deputados para que a votação seja iniciada na tarde do próximo domingo.

“Não há risco não. A gente faz requerimento de encerramento de discussão e encerra até as 11h [de domingo]”, disse Cunha antes de deixar a Câmara. Pelo cronograma definido por ele, a sexta-feira seria para apresentação da acusação e da defesa, além da fala dos partidos. Já no sábado, seria dada palavra aos deputados que se inscreveram para falar até as 11h de ontem (16), e a votação no domingo.

No entanto, passadas mais de 15h30 de fala dos partidos, apenas nove dos 25 já haviam subido à tribuna.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro