São Paulo, SP, 26/06/2019
 
17/11/2014 - 12h53m

Artigo 42 - Novembro Azul: Campanha alerta sobre saúde do homem

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani* 
  • Próstata normal e hiperplasia de próstata que leva a obstrução da uretra e a dificuldade para eliminar a urina
  • Câncer de próstata - pequenos nódulos que são detectados pelo toque retal
  • Câncer de pênis - lesões verrucosas suspeitas
  • Tumor malígno (carcinoma de próstata)

São Paulo (Agência Hoje) - Em continuidade ao Outubro Rosa o qual se faz uma campanha mundial de conscientização do câncer de mama na mulher, foi instituído o mês de novembro para a campanha de conscientização do câncer no homem.

Em consideração a este mês vamos discutir sobre a detecção precoce de tumores que acometem os homens como o câncer de próstata, do pênis relacionados a infecção pelo Papiloma Vírus (HPV) e do testículo, que acomete homens jovens.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil apresenta número maior de mulheres porque os homens vivem em média sete anos menos que as mulheres.

Este fato se deve a falta de atitudes preventivas, como de procurar médicos regularmente para realização de exames que possam detectar de forma precoce doenças graves e mortais, e também aos fatos de maior exposição à violência, drogas, bebidas e homicídios.

O homem de hoje está bem mais adaptado aos costumes modernos como o uso de cosméticos e a cirurgia plástica. Porém, dados estatísticos mostram que homens vivem menos e não fazem exames médicos.

Entre as várias doenças que acometem os homens, o câncer de próstata é uma das mais frequentes, em média de 70% dos homens com 70 anos e de 90% nos homens com 90 anos.

Este ano, estima-se que 69.000 casos novos no Brasil e 1 em cada 6 homens com mais de 45 anos vão ter câncer de próstata.

A próstata é uma glândula que sofre várias alterações no processo de envelhecimento.

Uma doença frequente é a Hiperplasia da Próstata que é um processo benigno e acomete 75% dos homens e pode levar a morte, pois o crescimento da próstata leva a obstrução da uretra, que por sua vez obstrui o rim e leva a insuficiência renal crônica.

O câncer de próstata é potencialmente curável quanto mais precoce o diagnóstico, maior as chances de cura.

Não há prevenção para o câncer de próstata, pois não há evidencias que permitam estabelecer estratégias para prevenção deste tipo de câncer.

O que é recomendável é que o homem que apresentar risco para desenvolver o câncer faça a detecção precoce.

Os fatores de risco para desenvolver câncer de próstata são:

• Idade igual ou maior a 50 anos com histórico familiar de pai ou irmão com câncer de próstata diagnosticado antes de 60 anos.

• Dificuldade para urinar;

• Urinar várias vezes à noite;

• Dor ao urinar.

Cerca de 15% dos homens tem histórico familiar de câncer de próstata com algum parente de primeiro grau.

Esses homens devem procurar o médico especializado em urologia para uma consulta preventiva e a realização do exame de toque retal.

Homens com idade entre 50 e 70 anos devem procurar um Centro de Referência para acompanhamento médico anual.

Hoje, a recomendação da Sociedade Médica de Urologia é que homens com idade superior a 40 anos procurem médicos especializados em urologia para a realização do toque retal e solicitação do exame de PSA.

O exame de PSA (Antígeno Prostático Específico), sigla dada ao exame de sangue ProstaticSpecificAntigen, é recomendado a ser solicitado em homens para detecção precoce do câncer de próstata.

No entanto, o exame sozinho não é capaz de fornecer informações suficientes para determinar se o paciente tem ou não câncer de próstata e, portanto é necessário o exame de toque retal para o médico verificar se há tumores na próstata.

Se o PSA estiver alterado, é necessário prosseguir a investigação com uma biopsia da próstata, pois pode ser uma lesão benigna como a hiperplasia da próstata, infecções ou o câncer.

Em homens com mais de 70 anos a avaliação do médico deve considerar a expectativa de vida do paciente, pois em geral os tumores de próstata tem evolução lenta, podendo levar ate 20 anos para manifestar a doença.

O que deve ficar como diretriz é que todos os homens com mais de 40 anos devem ser submetidos ao toque retal.

Existem formas de prevenir o câncer de próstata como:

• Dieta pobre em gordura (principalmente de origem animal), rica em frutas, legumes e verduras parece estar associada a diminuição do risco de vários tipos de câncer.

• Realização de exercícios físicos regulares.

• Baixo consumo de carne vermelha.

Algumas substâncias parecem ter ação protetora como vitaminas E e D, Seleniune Lycopeno (presente no tomate).

Estamos aguardando mais estudos para confirmar se essas substâncias protegem o homem de desenvolver câncer de próstata.

Outro tumor da população masculina, bem menos frequente é o câncer do pênis.

Este tumor esta relacionado com a infecção pelo Papiloma Vírus Humano – o HPV.

Tal qual os tumores do colo do útero das mulheres, os subtipos 16, 18, 31, 30, 46 e 58 são os, sendo os principais os subtipos 16 e 18.

A frequência dos tumores penianos é muito menor que os tumores do colo uterino, e não há prevenção.

O que deve ocorrer é na presença de lesões suspeitas como verrugas na região genital,deve-se procurar um especialista em urologia para o diagnostico e orientação.

A melhor forma de prevenção do câncer de pênis é a higiene com água e sabão.

Os tumores de testículo não tem prevenção, apenas recomendações em situações especiais como:

• Aumento do volume do testículo;

• Detecção de nodulações a palpação;

• Inflamação de difícil controle com medicamento;

• Crianças que nascem com o testículo retido na cavidade abdominal, chamados de testículos retrateis, são de risco para o desenvolvimento de tumores no testículo.

No testículo há três tipos de tumores:

• Seminoma;

• Tumores não seminomatosos;

• Neoplasias germinativas intratubular – NIT – esta é considerada uma lesão pré-mailigna, cujo potencial em se transformar em câncer é de 70%, no período de 7 anos em média.

A dica é o autoexame do testículo, se palpar alguma lesão nodular, ou alguma área dolorida, procure imediatamente um médico urologista para a realização de exames.

Fontes:

Cancer 72: 1308, 1993.

Eu Urol 53; 478, 2008.

BrMed J. 293: 1398, 1986.

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro