São Paulo, SP, 26/06/2019
 
04/02/2015 - 09h21m

Artigo 48 - Vacinação em dia contribui para o tratamento do câncer

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani* 

São Paulo - A vacinação é uma aliada muito importante na civilização moderna, pois sem ela muitas pessoas teriam morrido de doenças como varíola, poliomielite, meningite, pneumonias entre muitas outras.

A vacina se tornou uma ferramenta fundamental na nossa sobrevivência em comunidades.

Nos pacientes oncológicos também tem uma fundamental importância antes e durante o tratamento, principalmente na prevenção do desenvolvimento de algumas doenças pelo contato com a comunidade.

Um alerta do Instituto do Câncer de São Paulo – ICESP foi publicado para orientar os pacientes em tratamento oncológico da importância da vacinação estar em dia.

Pacientes em tratamento quimioterápico tem comprometimento do sistema imunológico tanto pela doença oncológica como pelo tratamento de quimioterapia, o qual atinge as células do sistema imunológico, tornando esses pacientes imunodeprimidos, ou seja, com resistência baixa e suscetível a infecções.

Manter a vacinação em dia é um alerta para pacientes e familiares cuidadores, que convivem com o paciente no mesmo ambiente.

Os pacientes que estão em tratamento oncológico podem receber vacinas com vírus ou bactérias inativadas, como:

• Influenza (gripe);

• Pneumonia;

• Tétano.

Não podem fazer uso de vacinas com vírus ou bactérias atenuadas como:

• Tríplice viral;

• Febre amarela.

Não é recomendada a vacinação durante o tratamento de quimioterapia, devido à baixa probabilidade de resposta vacinal pela imunossupressão induzida pela quimioterapia.

Recomenda-se que a vacinação deve ser efetuada 10 a 14 dias antes do início da quimioterapia, ou após 3 meses do término do tratamento quimioterápico.

Importante também são os familiares que convivem com o paciente no mesmo ambiente, serem vacinados de forma adequada para evitar que esses transmitam infecções aos pacientes oncológico, principalmente durante o tratamento quimioterápico.

A recomendação do protocolo do ICESP é a atualização do calendário vacinal dos pacientes que estão em acompanhamento oncológico(já terminaram o tratamento e estão em acompanhamento) ou que vão iniciar o tratamento de quimioterapia (10 a 14 dias antes do inicio da quimioterapia).

Vacinas Recomendadas

• Pneumo 23 – dose única e reforço em 5 anos

• Hepatite A – 2 doses (6 e 12 meses)

• Hepatitie B – 4 doses (0, 1, 2 e 6 meses)

• Influenza – anual

• Tétano – reforço, se recebeu alguma dose há mais de 10 nos, ou não se lembra.

Vacinas Contraindicadas em pacientes imunodeprimidos:

• Febre Amarela

• Tríplice viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola)

• Varicela

• BCG

Prevenção de familiares e cuidadores

Os acompanhantes são fontes de transmissão de várias doenças em pacientes imunodeprimidos.

Deve-se vacinar crianças menores de 5 anos que residem com o paciente, sendo necessários as vacinas:

• Poliomielite: A vacina SABIN (gotinha) para poliomielite não deve ser usa para a vacinação de crianças que convivem com pacientes em tratamento quimioterápico.

Sempre utilizar a vacina SALK.

• Rotavirus: para crianças menores de 7 meses

-Tríplice viral

-Varicela para crianças que residem no mesmo ambiente

-Fere Amarela

- BCG

Vacina para Meningite não está disponível na rede pública para pacientes oncológicos.

Vacina HPV (Papiloma Vírus Humano) é profilática e esta indicada em meninas adolescentes para prevenção do câncer do colo do útero.

Confira AQUI os locais disponíveis para vacinação no Estado de São Paulo.

CRIE – Centro de Imunização do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Telefone: (11) 2661-6392

Horário de funcionamento 7h30 às 16h

(Necessário encaminhamento com os dados do paciente)

Fontes pesquisadas

www.saúde.sp.gov.br/ses/2012

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro