São Paulo, SP, 18/06/2019
 
26/03/2015 - 10h28m

Artigo 52 - Saiba mais sobre a radioterapia no tratamento do câncer

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani* 

São Paulo - A radioterapia consiste no tratamento à base de feixe de radiação ionizante, aplicado com uma dose pré-calculada, por um tempo determinado no local do tumor, ou que foi removido o tumor.

É um tratamento localizado e o objetivo é erradicar as células tumorais, tentando poupar as células vizinhas.

A radiação é eletromagnética ou corpuscular, e isso significa que carregam energia e atingem o DNA as células levando as células a morte celular por inativação dos mecanismos vitais de sobrevivência celular.

A resposta dos tecidos corporais a radiação depende de muitos fatores, sendo o mais importante a oxigenação dos tecidos, logo é recomendado que os pacientes que vão fazer a radioterapia não tenham anemia, os níveis de hemoglobina recomendados devem ser maior que 10 gr/dl.

A dose total de radioterapia é fracionada e dividida em doses iguais que são aplicadas diariamente (segunda a sexta-feira), no mesmo horário – radioterapia externa.

Há outras modalidades de radioterapia como os procedimentos internos:

Braquiterapia: é uma forma o qual o material radioativo fica em contato com a região que será tratada. Pode ser feita através de cateteres, agulhas e dispositivos especiais.

É uma técnica muito usada com a radioterapia externa, e indicada nos tumores de próstata, colo do útero e sarcomas.

Também pode ser usado em tumores de mama em fase inicial para substituir a radioterapia externa, que geralmente seria feita em sete semanas e com a braquiterapia pode ser feita em cinco dias.

Radiocirurgia: que consiste em atingir o tumor com um alto grau de radiação de forma direcionada e preservando o máximo possível os tecidos ao redor. Geralmente esta indicada para tumores cerebrais com menos de dois centímetros.

Durante as sessões da radioterapia

Quando a radioterapia esta indicada, o paciente passa por uma avaliação pelo médico radioterapeuta que irá fazer marcas com uma tinta solúvel em sua pele que indicará o local a receber a dose de radioterapia. Durante cada sessão externa, você permanecerá na sala por cerca de 15 minutos, porém a sessão da radiação durará de um a três minutos.

Efeitos secundários da radioterapia

A radioterapia externa não faz com que o corpo fique radioativo. Não há necessidade de evitar o contato com outras pessoas durante o tratamento, pois o fato de abraçar, beijar ou mesmo manter relações sexuais não causam risco de exposição a radiação a elas.

A maioria dos efeitos secundários da radioterapia ocorre na área que esta sendo tratada. Os mais frequentes, porém raramente sérios, ocorrem na pele da área irradiada e desaparecem poucas semanas depois de terminado o tratamento. Poucos efeitos persistem por mais tempo.

Cuidados recomendados durante a radioterapia

O corpo responde diferente ao tratamento radioterápico, por isso o radioterapeuta deverá acompanhar o paciente durante todo tratamento e fazer ajustes, se necessário. Quase todos os pacientes com câncer que recebem radioterapia necessitam de cuidados especiais durante esta fase, sendo os principais:

• Antes de iniciar o tratamento faça uma lista dos medicamentos que você está utilizado para encaminhar a seu radioterapeuta, para que ele tenha conhecimento disto e possa lhe orientar melhor. Não se esqueça de mencionar as medicações às quais você tem alergia. Nunca comece a tomar nenhum medicamento sem conhecimento de seu médico;

• O cansaço é comum durante a radioterapia, seu corpo utiliza muita energia no tratamento. Procure descansar e dormir adequadamente durante este período. Normalmente o cansaço melhora de quatro a seis semanas após o término do tratamento;

• Ter uma boa alimentação é extremamente importante;

• Consulte sempre o seu médico antes de fazer uso de suplemento dietético, como vitaminas e outros;

• Evite usar roupas apertadas sobre a área do tratamento.

Cuidados com a pele sobre a área do tratamento

• Sempre peça orientação do seu médico sobre qual sabonete, creme hidratante, perfume, ervas medicinais, talco ou outras substâncias podem ser utilizadas;

• Use roupas de algodão suaves e soltas;

• Não aplique compressas frias ou quentes sobre a área, use somente água morna;

• Nunca use produtos para depilar;

• Proteja sempre do sol o local tratado, porém não deve utilizar bloqueador solar durante o tratamento de radiação. Se possível cubra a área com tecidos quando sair. Após o tratamento use, no mínimo, um fator de proteção solar 15.

• Não use cremes, perfumes, loções ou ervas medicinais durante o tratamento

Efeitos secundários da radioterapia

Os efeitos variam de pessoa para pessoa e podem ser leves para alguns e graves para outros. Depende principalmente da dose de radioterapia e do local que está sendo irradiado.

Os efeitos secundários podem ser agudos ou crônicos. Agudos são os efeitos mais rápidos, aparecendo pouco tempo após o início da radioterapia, e desaparecem algumas semanas depois do término do tratamento. Os mais comuns são cansaço e alterações na pele e podem resultar da radioterapia em qualquer lugar do corpo. Os crônicos aparecem algum tempo após o fim a radioterapia, sendo por vezes meses anos.

Outros efeitos secundários estão relacionados com lugares específicos do corpo, como a perda do cabelo quando a radioterapia é na cabeça. O apetite se altera quando a radioterapia é feita na boca, estômago ou intestino.

A maioria dos efeitos secundários desaparece com o tempo e dificilmente limitarão suas atividades diárias, porém depende do tipo e da intensidade deles. A maior parte das pacientes continuam exercendo suas atividades normalmente, a não ser que sinta muito cansaço. Neste caso é necessário um tempo para descansar e prosseguir o tratamento. O cansaço é a sensação de esgotamento e falta de energia, é o sintoma mais comum do paciente que faz radioterapia.

A maioria das pessoas começa a sentir-se cansada poucas semanas após o início da radioterapia. Durante o tratamento, o corpo utiliza muita energia e o cansaço pode ser causado por fatores como o estresse da doença, as idas diárias ao tratamento e os efeitos da radiação no corpo. Atividade física, como caminhadas, pode lhe ajudar a combater o cansaço.

No caso de o paciente estar empregado, tem direito pela legislação brasileira de afastar-se para o tratamento através do benefício chamado auxilio doença, concedido pelo Instituto Nacional de Assistência Social (INSS), para pessoas empregadas e que tenham pelo menos um ano de recolhimento para a Previdência Social.

Problemas com a pele

A pele na área do tratamento poderá ficar avermelhada e irritada, como se estivesse queimada pelo sol. Depois de algumas semanas sua pele estará ressecada por causa da radioterapia.

Contudo, alguns tipos de radioterapia podem causar uma reação úmida, principalmente nas pregas da pele. Quando isto ocorre, podem surgir feridas. É muito importante que, se isto estiver ocorrendo, você comunique imediatamente o médico.

A radioterapia pode causar a perda do cabelo, também chamada de alopecia, porém isto só ocorre na área tratada pela radiação, e o cabelo pode ou não voltar a crescer.

Alimentação durante a radioterapia

Algumas vezes o tratamento de radioterapia pode causar transtornos alimentares, como perda de apetite e alteração no paladar. Não é raro que perca um ou dois quilos por semana durante o tratamento. Uma sugestão é controlar o peso uma vez por semana e avisar o seu médico.

Dicas de alimentação durante a radioterapia

• Coma quando sentir fome, mesmo que não seja hora da alimentação;

• Faça várias refeições em pequenas quantidades durante o dia, em vez de três básicas;

• Tente alimentar-se em um ambiente agradável com luzes tênues, músicas suaves e cores brilhantes;

• Varie a dieta, inventando novas receitas, tente alimentar-se junto a seus familiares e amigos;

• Mantenha sempre uma comida pronta por perto para quando sentir fome;

• Aumente o aporte de calorias, veja em dietas para aumentar o aporte calórico, durante o tratamento;

• Ingira o máximo de líquido possível, e deixe sempre próximo a você uma garrafinha de água para poder tomar de hora em hora ou quando estiver com sede.

Fontes pesquisadas:

- Consejos de alimentación para pacientes com cancer, antes, durante y despuesdeltratamiento. Instituto Nacionales de lasalud. Instituto NacionaledelCancer

- Helping Yourself during chemotherapy – 4 stepys for patients

- La radiation y usted – una guia de autoayudaeltratamiento

- Viva plenamente cada dia – apoyo as pessoas concancer y para los que se encargam de su cuidado

- FacingGuide for cancerpatients

- Nutritionandyourhealth – dietaryguidelines for Americans – Departamento de agricultura e saude dos Estados Unidos da America.

- Nutrição em Oncologia – Dr. Nivaldo Barroso de Pinho – INCA, 2005 (Eurofarma)

- Manual do paciente com Câncer – NAPACAN - 1999

- O sabor da vida – Dicas para auto-ajuda e nutrição para o paciente oncológico. Petrile C. e colaboradores

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro