São Paulo, SP, 22/10/2019
 
22/04/2015 - 12h10m

Artigo 54 - Importância da alimentação durante o tratamento do câncer

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani* 

São Paulo - O tratamento do câncer envolve muitos procedimentos que alteram o organismo. Uma das maiores alterações são decorrentes do impacto na alimentação.

Como o tratamento envolve muitas etapas como cirurgia, quimioterapia, radioterapia e em alguns casos a terapia de bloqueio hormonal, também chamada de hormonioterapia no tratamento do câncer de mama e próstata principalmente e a imunoterapia, cada vez mais estudada atualmente e deverá ser incorporada no futuro próximo ao tratamento do câncer.

Os diferentes tipos de tratamento também afetam muito a alimentação, como por exemplo:

Cirurgia

Como afeta a alimentação: aumenta muito a necessidade de uma boa alimentação. Pode afetar algumas funções como na boca, garganta, estômago e intestinos. A nutrição adequada acelera a recuperação de feridas e a cicatrização

Efeitos secundários: antes da cirurgia geralmente o médico recomenda uma dieta rica em proteínas e calorias, principalmente se o peso do paciente estiver baixo. Após a cirurgia alguns pacientes podem alimentar-se normalmente, ou requerem uma dieta especial orientada por médico e nutricionista.

Radioterapia

Como afeta a alimentação: o procedimento da radioterapia pode afetar células normais, dependendo do campo de radiação que o paciente será submetido para o seu tratamento.

Efeitos secundários: os tratamentos de tumores da cabeça, pescoço e mama podem causar secura na boca, irritação na boca, irritação na garganta, alteração para engolir os alimentos, alterações no paladar, problemas nos dentes.

Os tratamentos para estômago e abdome podem levar a náusea e vômitos, diarreia e dores abdominais.

Quimioterapia

Como afeta a alimentação: afeta as células do sistema digestivo, afetando a capacidade de alimentação

Efeitos secundários: náusea e vômitos, perda de apetite, diarréia, irritação da boca e garganta, aumento ou perda de peso, alterações no sabor dos alimentos.

Imunoterapia – terapia biológica

Como afeta a alimentação: como estimula o sistema imunológico para defesa contra o câncer, pode também levar a alterações na alimentação.

Efeitos secundários: semelhantes à quimioterapia, porém com menor intensidade.

Terapia hormonal

Como afeta a alimentação: alguns tipos de tumores são tratados com terapia hormonal e essas podem levar a alterações no apetite.

Efeitos secundários: geralmente dores musculares e/ou articular e sensação de fadiga.

A cirurgia também afeta muito a alimentação e depende do local que o tumor esta localizado, o impacto é diretamente proporcional a necessidade de suplementação calórica, principalmente durante o período após a cirurgia, para o enfrentamento das próximas etapas, se necessário, como a quimioterapia ou radioterapia.

Alterações nutricionais após cirurgia para o tratamento do câncer

A radioterapia tem os efeitos relacionados ao local irradiado, sendo as reações divididas em reações agudas, que ocorrem até 48 horas da aplicação e crônica, a longo prazo, inclusive após o termino do tratamento, que geralmente ocorre em cinco semanas.

Efeitos da radioterapia

Como solucionar os problemas de alimentação no tratamento

A alimentação é uma parte muito importante do tratamento. Se consumir uma dieta adequada antes, durante e depois, irá se sentir muito melhor e mais forte. Muitas são as fontes de informação para uma dieta adequada, contudo, as que se seguem são orientações de instituições norte-americanas especializadas. Também os efeitos da quimioterapia, como náuseas, vômitos, diarreias, dificuldade para deglutir e outros, podem ser amenizados através da dieta certa.

A orientação nutricional é fundamental no tratamento oncológico. Alguns tipos de tumor produzem aumento no gasto energético, portanto durante as fases iniciais do tratamento, é necessário um suporte nutricional adequado para seja melhor tolerado.

O tratamento pode afetar a rotina alimentar de várias formas, sendo os problemas mais frequentes:

• Perda do apetite;

• Ganho ou perda de peso corpóreo;

• Irritação da boca ou garganta;

• Secura na boca;

• Problemas dentais;

• Alteração no sentido do olfato e paladar;

• Náuseas e vômitos;

• Diarreia;

• Intolerância ao leite e derivados;

• Formação de gases;

• Fadiga e depressão.

Essas alterações estão relacionadasao tipo de câncer, a parte de seu corpo que foi acometida pelo tumor; o tipo, a duração e a dose do tratamento. A maioria destes efeitos secundários desaparece ao término do tratamento.

Para ter uma alimentação saudável é importante conhecer as substâncias existentes nos alimentos que deverão ser equilibradas e variadas, contendo alimentos que forneçam nutrientes e substâncias que o organismo necessita.

Carboidratos

São nutrientes encontrados largamente em alimentos vegetais como cereais, legumes, frutas e hortaliças. Deve ser a base da alimentação e a que fornece pelo menos metade da fonte de energia de que necessitamos.

Os açúcares são um tipo de carboidrato, sendo eles açúcar branco, mascavo, puro, xarope de milho, melaço, rapadura e outros. Eles fornecem muitas calorias e poucos nutrientes, por isso devem ser consumidos com moderação.

Proteínas

As proteínas são os componentes mais importantes da nossa dieta, desempenhando funções variadas para o funcionamento do nosso organismo. Os alimentos de origem animal, tais como a carne de vaca, frango, peixes, ovos, leite e seus derivados são boas fontes de proteínas. Os produtos vegetais que mais contêm proteínas são os feijões, lentilhas, grão de bico e amendoins.

Gorduras

Chamadas de gorduras e óleos, elas são divididas em dois grupos:

Gorduras saturadas: são as gorduras geralmente sólidas à temperatura ambiente e são encontradas em alimentos como carne animal, laticínios, gema de ovo, manteiga, vísceras, embutidos, além de alguns alimentos vegetais como óleo de coco e azeite de dendê. Este tipo de gordura, quando consumido em excesso, aumenta os níveis de colesterol sanguíneo.

Gorduras insaturadas: são as gorduras líquidas na temperatura ambiente como o azeite de oliva, o óleo de amendoim, canola, nozes, abacate e amêndoa. O consumo deste tipo de gordura é muito recomendado para pessoas diabéticas que não necessitem de insulina.

Também fazem parte deste grupo de gorduras as de Ômega 3, abundante em plantas como os vegetais verde-escuro e em óleo de peixes como salmão, bacalhau e atum; e Ômega 6 , encontrado em vegetais como óleo de linhaça , canola, girassol, milho, nozes e soja.

Calorias

As calorias correspondem à unidade padrão de aproveitamento do alimento pelo nosso organismo. As calorias são obtidas por meio da metabolização ou transformação dos carboidratos, gorduras e proteínas, que fornecem energia necessária para nossas funções vitais. A caloria não e constituinte do alimento, mas sim a energia que o alimento mede. Quanto maior a quantidade de caloria de um alimento, maior é a energia adquirida na sua metabolização. Quando essa energia não é gasta para o funcionamento do organismo, é armazenada no tecido gorduroso, por isso que os alimentos muito calóricos nos fazem engordar. Devem ser consumidos com moderação.

Fibras

As fibras são substâncias que estão presentes em alimentos como legumes e vegetais, maçã, pêra, ameixa, feijão, aveia e cevada, além das encontradas no farelo, grãos e verduras. As fibras não são digeridas pelo nosso organismo e apresentam efeitos benéficos como a formação das fezes. O aumento da ingestão de fibras na alimentação deve ser acompanhado do aumento da ingestão de água, para que elas possam ser utilizadas pelo nosso organismo.

Vitaminas e sais minerais

São necessários para evitar o aparecimento de muitas doenças. Vitaminas e sais minerais têm como fonte abundante frutas e legumes.

Sódio

A maior fonte de sódio é o sal de cozinha, embutidos, alimentos em conserva, salgadinhos, queijos e temperos prontos. Estudos demonstram que a necessidade diária de sal para não ser danosa ao nosso organismo é de 5 g/dia.

Cafeína

Cafeína é o ingrediente básico do café, mas também pode ser encontrada em bebidas derivadas do cacau, refrigerantes a base de cola, chá, remédios analgésicos e antigripais. É uma substância capaz de estimular o sistema nervoso central e, em doses altas, causar tremores e aumento dos batimentos cardíacos.

Água

A água é fundamental para os seres vivos. O nosso corpo é composto de 50 a 70% de água, sendo o restante de proteínas, gorduras, carboidratos, vitaminas e sais minerais, que se depositam nos tecidos e ossos. Para mantermos o corpo saudável e funcionando bem, devemos ingerir 1,5 a 2 litros de água ao dia. São muitas as fontes de água, como em forma natural, em forma de líquidos como sucos e refrigerantes e as contidas nos alimentos na fonte vegetal (frutas e legumes) e animal (carnes de vaca, frango e peixes).

Recomendação diária de ingestão alimentar (OMS)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como elaborar uma nutrição saudável durante o tratamento

As orientações nutricionais normalmente orientam a comer muitas frutas, verduras, pães integrais e cereais, incluindo uma quantidade moderada de carne e derivados do leite, reduzindo gorduras, álcool e o sal. As recomendações sobre nutrição podem ser diferentes para cada paciente.

Em câncer, estas recomendações estão mais direcionadas para a ingestão de maiores quantidade de calorias e proteínas, como comer e tomar mais leite, derivados como queijos, cremes e ovos cozidos. Também é aconselhável aumentar o uso de molhos e outros produtos que aumentem de forma significativa as calorias como o uso de manteiga, margarinas e azeite.

Alimentos recomendados para aumentar a ingestão de calorias

• Manteiga ou margarinas;

• Creme de leite;

• Leite condensado;

• Queijo derretido sobre omeletes e sopas;

• Queijo cremoso;

• Molho de saladas e maioneses;

• Mel, geleias e açúcares;

• Frutas secas (uva passa, ameixa, figos).

Alimentos recomendados para aumentar a ingestão de proteínas

• Queijos e ricota;

• Leite e derivados;

• Leite em pó;

• Sorvetes e iogurtes;

• Ovos;

• Feijões e legumes;

• Nozes/ germe de trigo;

• Creme de leite;

• Amendoim.

Fontes pesquisadas:

-Nutrition for thepersonwith câncer. A guide for patientsandfamilies. American CancerSociety.

-OncologyNutrition, American DieteticAssociation.

-EatingHints for CancerPatrients, before, duringandaftertreatment. NationalInstitutesof Health

www.inca.org.br

www.napacan.org.br

www.accamargo.org.br

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro