São Paulo, SP, 19/09/2019
 
03/02/2016 - 11h57m

Artigo 71 - Alerta sobre Melanoma Maligno e cuidados com a pele

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani  

São Paulo - Com o verão vem as preocupações relacionadas ao clima mais quente e uma delas é a exposição a radiação ultravioleta e o alerta para a prevenção do câncer de pele, mesmo porque os tumores de pele (não melanoma) são os mais incidentes no mundo, representando 25% dos tumores.

Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para 2016 será de 175 mil casos novos, sendo 80.850 em homens e 94.910 em mulheres, essa estatística se refere ao Carcinoma Basocelular e ao Carcinoma Epidermoide.

O Melanoma Maligno é o pior dos tumores de pele, pois apresenta comportamento agressivo com crescimento tumoral rápido e com alto potencial de disseminação pelo corpo (metástases). O alerta é que a incidência de melanoma maligno cutâneo está aumentando de forma alarmante.

Em 90% dos casos o melanoma cutâneo se desenvolve por exposição ao sol e pessoas com a pele clara, loiras e ruivas que tem muitas pintas na pele, são mais suscetíveis.

Os locais da pele mais frequentes de Melanoma cutâneo são as áreas expostas ao sol, como face, braços, pernas, dorso e o “V” do decote.

A pele pode apresentar alguns sinais de alerta

- Pequenas manchas avermelhadas ou acastanhadas de crescimento lento

- Pintas que mudam de cor ou formato

- Feridas que não cicatrizam

O Ministério da Saúde investe nas estratégias de diagnóstico de câncer através do Sistema Único de Saúde (SUS), onde atualmente 277 hospitais realizam diagnóstico e tratamento do câncer em todo Brasil, logo se houver uma lesão suspeita, procure um Posto de Saúde próximo de sua residência para agendar uma consulta e ser encaminhado para um especialista.

Estudos realizados por grupo de médicos Europeus constataram que o melanoma cutâneo tem uma evolução mais favorável em mulheres, comparados a homens. A análise de 2672 pacientes com diagnostico de melanoma cutâneo e de modo geral a doença é 30% menos agressiva em mulheres e a sobrevivência ao melanoma, sendo evidenciado formas mais agressivas em homens com evolução menos favorável e maior chance de morte pela doença.

Outro estudo realizado nos Estados Unidos (na Mayo Clinic) revelou um fato alarmante que é o aumento da incidência de Melanoma cutâneo em pessoas com idade inferior a 40 anos.

Estudos americanos de incidência de câncer tipo Melanoma em pessoas com idade entre 19 e 39 anos, no período de 1979 a 2009 revelaram um aumento de incidência da doença principalmente em mulheres, cuja frequência foi quatro vezes maior que em homens da mesma faixa etária.

Este fato foi atribuído ao uso de bronzeamento artificial neste período, o qual era moda ser bronzeada. O estudo também revelou que mulheres jovens usam mais câmaras para bronzeamento artificial comparada com mulheres mais velhas e homens e este fato leva a um aumento das chances de desenvolver Melanoma em até 74%.

Dicas de prevenção

- Uso de protetor solar fator 30 no mínimo, a cada 3 horas

- Uso de óculos com proteção ultravioleta

- Uso de chapéus

- Evitar a exposição solar no horário de 10h as 16h no horário de verão

*Essas medidas devem ser tomadas em todas as estações do ano, exceto nos dias de chuva.

Vitamina A – o uso de suplemento de Vitamina A parece diminuir o risco de Melanoma cutâneo

Um estudo com 69635 homens e mulheres, com idade média de 62 anos durante período de 20 anos foi observado que 566 pessoas deste grupo desenvolveram melanoma cutâneo, porém os participantes do estudo que ingeriam suplemento de Vitamina A tiveram um risco 60% menor de desenvolver melanoma, principalmente em mulheres. Porém, este estudo é preliminar e observacional, não se chegando a uma conclusão positiva de que o uso de suplemento de Vitamina A tenha algum impacto na prevenção do melanoma.

Outro fator é que a ingestão de Vitamina A em excesso leva a intoxicação no fígado e deve ser orientada sempre por um médico.

Fontes pesquisadas

- Site da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC)

www.sboc.org.br – artigo escrito por Dr. Gustavo Fernandes, para alertar a população sobre a exposição excessiva ao sol neste verão. O texto foi publicado originalmente no caderno Opinião, do jornal Estado de Minas, no dia 26/12/2015.

- Mayo Clinic Proceedings

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro