São Paulo, SP, 23/10/2018
 
30/03/2016 - 16h48m

Artigo 75 - Associação do consumo de carne vermelha e o câncer

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani  

São Paulo - Estudos epidemiológicos sugerem de que há uma associação entre o consumo de carne vermelha e o desenvolvimento de alguns tipos de câncer, mas este fato está sendo elucidado de forma mais clara e relacionado com a forma de preparo e com a quantidade consumida.

E também está sendo relacionado a ingestão de carne infectada por um tipo de vírus.

Os vírus são bem conhecidos e estudados como agentes causadores de muitos tipos de câncer nos seres humanos, como o Papiloma Vírus (HPV), bem conhecido e causador de carcinoma do colo do útero e o vírus Epistein – Baar que é causador de Linfomas na África.

Esses são os mais conhecidos. No final dos anos 1970 os cientistas já supunham uma associação entre consumo de carne bovina e aumento da incidência de câncer de intestino, baseados no fato de que locais em que o consumo desta carne é baixo, é também baixa a incidência de câncer.

O que se supunha era a liberação de hidrocarbonetos aromáticos que são cancerígenos e derivados de nitrosaminas, que ocorrem no processo de grelhar a carne, tipo o churrasco, muito popular e consumido no Brasil.

Outra suposição seria que a carne bovina esteja infectada por um vírus, que é resistente a temperatura do cozimento na grelha no churrasco.

Mais recentemente foi publicado um estudo em revista renomada americana e realizado na Universidade de Havard que se baseou na observação de 88803 mulheres, durante 20 anos.

A conclusão deste estudo foi que o consumo de carne vermelha esteve relacionado com o aumento da incidência de câncer de mama, onde 2830 mulheres que consumiam carne vermelha com frequência foram diagnosticadas com câncer de mama.

Outro estudo importante foi publicado pela Universidade da Califórnia, onde os pesquisadores demonstraram que as carnes vermelhas contém uma substância conhecida como ácido siálico não humano – acido N-glicolineuramínico (Neu5Gc) e esta substância fica na circulação sanguínea após a ingestão de carne vermelha e é capaz de estimular inflamação no intestino, que é um fator de desenvolvimento de câncer.

Esta pesquisa foi feita em cobaias e as cobaias que tinham nível sanguíneo maior deste ácido, desenvolveram câncer de intestino.

Essa substância não é produzida pelo organismo humano, porém é detectada em tumores malignos e em altas concentrações de carne vermelha (bovina, suína e de cordeiro).

Os pesquisadores demonstraram que esta substancia está em concentração diferente conforme o tipo de alimento, sendo as maiores concentrações no bife.

Tabela de concentração de Neu5Gc em alimentos:

Tipo de Alimento Concentração de Neu5Gc % de Neu5Gc
Leite e derivados 0 0
Manteiga 0 0
Leite integral 2 12
Carne de búfalo 29 32
Carne de carneiro 14 13
Bife 25-231 32 a 55
Porco 7 a 40 9 a 22
Carne de frango 0 0
Carne de peru 0 0
Ovo de galinha 0 0
Peixe 0 0
Marisco 0 0
Caviar 441 a 530 13 a 29
Verduras 0 0
Vegetais 0 0

 

Fontes pesquisadas

vencerocancer.com.br/noticias/cancer-e-consumo-de-carne

www.grupocoi.com.br/carne-vermelha-causa-cancer/

www.onconews.com.br

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro