São Paulo, SP, 23/10/2018
 
17/08/2016 - 15h01m

Artigo 83 - Agosto é o mês de prevenção do Câncer de Pulmão

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani  

São Paulo - O dia 29 de agosto é o dia Mundial de Combate ao Fumo, o qual em todo mundo há uma campanha de conscientização do risco do hábito de fumar relacionado com o desenvolvimento do câncer de pulmão.

Baseado no relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) publicado em 10 de junho de 2016, o qual consta que 6 milhões de pessoas morrem ao redor do mundo por ano, vítimas de doenças causadas pelo cigarro. Esse documento se chama Epidemia Global de Tabaco 2013.

Neste documento está enumerada as doenças causadas pelo habito de fumar cigarros industrializados, e o mais impressionante é a projeção de que 8 milhões de pessoas morrerão vítimas do tabagismo até 2030.

Mas uma boa notícia é a citação das campanhas realizadas no Brasil, onde foi citado como um dos países que mais combatem o tabagismo e conscientizam a população dos seus riscos.

Mas mesmo assim, pesquisas mostram que 15% da população adulta brasileira consome tabaco regularmente.

Também consta neste relatório que São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza são as cidades que mais atingiram sucesso das campanhas contra o fumo.

Neste relatório há dados interessantes como a citação de 24 países no mundo aderiram a esta campanha, com punições severas para o uso do fumo por tabaco, outros 100 países, entre eles o Brasil, tem leis que impedem ou restringem o uso de tabaco de alguma forma, e 67 países restantes não tomaram nenhuma providencia ou iniciativa para conscientização.

Baseado nessas informações a OMS resolveu apelar para uma campanha mundial, escolhendo o mês de agosto em todo mundo para ser o mês da prevenção do Câncer de Pulmão, mesmo porque 90% dos tumores de pulmão estão relacionados ao habito de fumar cigarros industrializados e é uma das doenças mais graves causadas pelo cigarro e pode ser evitada.

Historicamente no ano de 1987 foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) o “Dia Mundial sem Tabaco”, porque já na década de 1980 mesmo com poucos recursos científicos, havia se notado que a incidência de Câncer de Pulmão era muito mais alta em pessoas que tinham o habito de fumar cigarros industrializados em relação a outras que não fumavam.

No Brasil, no Rio de Janeiro o Instituto Nacional do Câncer – INCA que pertence ao Ministério da Saúde é o órgão que coordena as ações do governo para o controle do uso de Tabaco, criou um Programa governamental muito bem-sucedido com ação em conjunta de orientação a população e com o governo brasileiro que é o Programa Nacional de Controle do Tabagismo, muito elogiado em outros países e exemplo de ação bem-sucedida em Saúde Pública.

Em São Paulo, o governo Estadual criou uma medida exemplar que foi a proibição de fumar em locais fechados públicos e privados, hoje estendida para todo território nacional.

Estudos mostram que a idade média do início do consumo de cigarro é de 18 anos, sendo que 80% é após 19 anos e 20% entre 13 e 15 anos e este fato é favorecido por acesso a venda de cigarros que tem baixo custo. A estratégia fundamental nesta fase é a necessidade de se investir com muita informação.

Em 2011, o Ministério da Saúde constatou o gasto de 21 milhões de Reais com o tratamento de doenças relacionadas ao tabaco, entre essas o Câncer de Pulmão, o que equivale a 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto) do mesmo ano.

A melhor estratégia é a prevenção e neste caso conhecemos os Fatores de Risco estabelecidos para o Câncer de Pulmão:

Fumo (cigarros industrializados)

Consumir tabaco em qualquer forma é o maior fator de risco para o Câncer de Pulmão(tipo Carcinoma Epidermoide) em 90% desses tumores e Adenocarcinoma em 10%,

E isso vale para os que fumaram ou se expuseram através da fumaça ambiental (fumo passivo) de cigarros ou assemelhados (palheiros, charutos, cachimbo).

Nunca iniciar a prática de fumar ou, para quem fuma, parar de fumar é uma forma efetiva de diminuir as chances de desenvolver câncer de pulmão.

Após 10 anos de abstinência, o risco de desenvolver câncer de pulmão cai em até 50%.

Parar de fumar diminui as chances de desenvolver este tipo de câncer.

Fumo passivo

Inalar a fumaça que vêm de cigarros ou assemelhados também é um fator de risco para câncer de pulmão. Evitar inalar estas substâncias, principalmente em ambientes fechados, é uma forma de prevenção.

Beta-caroteno

Esta substância é comum em vários alimentos na sua forma natural. Mas é também é utilizada como suplemento vitamínico por algumas pessoas, na forma de medicação.

Estudos demonstraram que fumantes que utilizam beta-caroteno na forma de suplementação vitamínica têm maior risco de desenvolver câncer de pulmão.

Então pessoas que fumam e principalmente quem fumam mais de 20 cigarros por dia, devem evitar o uso de medicações que tenham em seus componenetes o beta-caroteno como os multivitamínicos.

Não há nenhum estudo que tenha demonstrado a eficácia do uso de medicamentos ou suplementos preventivos para esse tipo de câncer.

Fontes pesquisadas

www.hcancerbarretos.com.br/pesquisas/93...de-cancer/cancer-de-pulmao

www.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pulmao/prevenção

www.abcdasaude.com.br

www.minhavida.com.br › Saúde

www.prevencaodecancer.com.br

www.tabaccofreekids.org/whatwedo/federalissues

-Tabacco Comntrol in Brazil, Iglesias R. – 2007

O Sistema Único de Saúde – SUS, disponibiliza em todo Brasil medicamentos e insumos necessário para parar de fumar

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro