Artigo 90 - Relação do Câncer de Esôfago e Bebidas Quentes - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 19/08/2018
 
03/01/2017 - 08h50m

Artigo 90 - Relação do Câncer de Esôfago e Bebidas Quentes

Agência Hoje/Dra. Silvia Regina Graziani 

São Paulo - O esôfago é um órgão muscular do nosso sistema digestório que tem a função de “levar” o alimento ao estômago após a ingestão pela boca, e isso se dá por ondas da musculatura que são muito eficientes.

Não produz nenhum hormônio ou substância, tem a função exclusiva motora, porém é muito importante na digestão.

O câncer de esôfago é o sexto em incidência em homens e decimo terceiro em mulheres no Brasil e no mundo acomete aproximadamente 450.000 pessoas e também é muito letal, sendo que menos de 10% desses pacientes vivem mais de 5 anos após o diagnóstico.

Geralmente o diagnóstico se dá com a doença avançada e o paciente muito comprometido de desnutrição.

Os sintomas mais frequentes são a dificuldade para se alimentar de alimentos sólidos que “enroscam” e vai progressivamente piorando para alimentos pastosos e líquidos, até chegar ao ponto de que não passa mais nenhum tipo de alimento.

O tipo mais frequente é o carcinoma de células escamosas, que cresce sobre a superfície do esôfago, levando a obstrução da passagem do alimento, o que justifica a sintomatologia do histórico.

Uma pesquisa foi publicada em uma renomada revista médica The Lancet Oncology em novembro de 2016, onde os autores analisaram 23 trabalhos de 16 países com mais de 1.000 estudos observacionais, incluindo trabalhos brasileiros realizados no INCA.

A conclusão deste estudo foi que bebidas ingeridas a mais de 65 graus Celsius são potencialmente causadoras de câncer no esôfago.

Bebidas muito quentes como cafés e chás e em especial na região sul do Brasil, onde os gaúchos tem o hábito de ingerir um tipo de chá mate muito quente que se chama chimarrão.

A incidência de câncer de esôfago na região sul é cinco vezes maior que em outras partes do Brasil e em 2016 foram diagnosticados 7.950 pacientes do sexo masculino e 2.860 do sexo feminino com este tipo de tumor.

Se acredita que a bebida quente causa lesão na mucosa e a combinação com outros fatores considerados de risco é que desencadeia o processo de desenvolvimento do câncer.

Os fatores de risco bem conhecidos são o fumo e o álcool.

A pesquisa também mostrou que em temperaturas mais baixas o consumo de café e chá não aumentaram o risco de desenvolvimento de câncer de esôfago.

O ideal é que para o consumo de líquidos quentes após a fervura se coloque sobre uma superfície fria por 5 minutos antes da ingestão.

Temperatura estimada entre 55 e 60 graus Celsius.

O estudo também demonstrou que a incidência de câncer não é somente no esôfago, mas na cavidade oral, língua, laringe, faringe e estômago.

Este tipo de estudo é um alerta, pois se baseia em fatos de observação, mas deve ser considerado como fato e evitar o consumo, principalmente em pessoas que fazem uso de álcool e fumam.

Este estudo também demonstrou que o consumo de água muito quente, com temperaturas de 65 e 70 graus Celsius aumentou a incidência de câncer de esôfago em camundongos e ratos.

Dicas para preservar a saúde:

Bebidas quentes devem ser consumidas a menos de 60° C, então aguarde aproximadamente 5 minutos após a fervura para dar início ao consumo.

Bebidas a base de leite devem ser consumidas a menos de 60° C.

O chimarrão a temperatura média de consumo é de menos de 70° C.

O chá verde a temperatura média de consumo é de menos de 90° C.

Fontes pesquisadas:

www.accamargo.org.br

www.gazetadopovo.com.br

www.boasaude.com.br

www2.inca.gov.br

* A Dra. Silvia Regina Graziani, CRM 56925, é Medica Oncologista Clinica, com título de especialista em Cancerologia (1992). Residência Médica: Hospital do Câncer A. C. Camargo. Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Médica do Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho – IAVC, São Paulo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro