São Paulo, SP, 22/09/2019
 
04/06/2012 - 17h24m

Artistas plásticos usam pipas para chamar a atenção da Rio+20

Agência Brasil/Paulo Virgilio 
Pipas são usadas para chamar atênção antes do Rio+20
Pipas são usadas para chamar atênção antes do Rio+20

Rio de Janeiro - Um projeto inédito vai utilizar a tradicional brincadeira popular de soltar pipas para chamar a atenção para os temas que estarão em discussão na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Realizado pelo espaço de criação coletiva Fronteira, o projeto E-vento, do designer Rico Lins, teve início hoje (2) e segue até amanhã (3), na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no bairro do Jardim Botânico, na zona sul do Rio.

Em oficinas conduzidas por conhecidos artistas plásticos cariocas, peças gráficas e mensagens serão reproduzidas em dezenas de pipas, confeccionadas para uma grande revoada, aberta ao público, nos dias 21 e 22 de junho, no Parque do Flamengo, em plena realização da conferência da ONU. As pipas serão produzidas, em sua maioria, com materiais biodegradáveis e as mensagens abordarão as principais questões do desenvolvimento sustentável.

“Achei importante utilizar uma atividade que usa a criatividade e gera uma mobilização local em cima dos temas da conferência. A pipa, além de movida a energia limpa, se trata de um elemento da identidade cultural brasileira”, explica o designer.

O E-vento é aberto ao público em geral e visa integrar os artistas plásticos com diversos segmentos da sociedade, reunindo pessoas de várias gerações.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro