São Paulo, SP, 22/06/2018
 
08/08/2014 - 15h19m

As construções religiosas que fizeram história e moldaram a cidade de São Paulo

Agência Hoje/Gabriel Grunewald 
Agência Hoje/Fernanda São José
Fechada por sete anos, Igreja de São Francisco foi restaurada e está preparada para receber visitantes, inclusive em grupos
Fechada por sete anos, Igreja de São Francisco foi restaurada e está preparada para receber visitantes, inclusive em grupos
  • Santa Ifigênia (Altar)
  • Santa Ifigênia (Vitrais)
  • São Francisco (Capela)
  • São Francisco
  • Nossa Senhora dos Aflitos (Altar)
  • Nossa Senhora dos Aflitos (Altar)
  • Santo Antônio (Capela da Devoção)
  • Santo Antônio (Altar)

São Paulo (Agência Hoje) - São Paulo é uma cidade enraizada ao redor de Igrejas, que foram as primeiras construções importantes erguidas. As edificações e a fixação das ordens religiosas moldaram o mapa do centro histórico, e conseqüentemente o terreno de toda a área metropolitana.

A primeira ordem religiosa que veio a essas terras foi a Jesuítica, onde o padre Manuel da Nóbrega e o noviço José de Anchieta, juntamente de outros padres, construíram a pedido de Portugal o Pátio do Colégio, uma simples obra destinada a catequização indígena.

Com o passar dos anos, vieram outras ordens religiosas que ajudaram a moldar a cidade como, por exemplo, a beneditina, as carmelitas, franciscana, jesuítas e tantas outras. Através das capelas e das igrejas, os padres aqui se estabeleceram, catequizaram o gentio e assim, com suor e esforço, São Paulo foi se construindo.

Destacamos quatro Igrejas especiais do centro histórico. Que por suas particularidades e histórias ajudam a contar um pouco do processo da formação de São Paulo.

Igreja Santo Antônio

Localizada no centro de São Paulo, onde uma pequena portinha na Praça do Patriarca serve de entrada para a Igreja. O tamanho diminuto da porta contrasta com a grandeza das obras lá guardadas. São peças devocionais que remontam ao início da vila de São Paulo.

Apesar das reformas que possibilitam que ela exista até hoje, em pé e aberta ao público, nem sempre tudo foi assim. O primeiro documento que faz menção a Igreja foi datado em 1592. Muitos afirmam que Afonso Sardinha, um dos primeiros moradores paulistanos, foi o fundador da Igreja. No século XVII a vila crescia, e com ela os fiéis. Por isso foi feita a primeira de muitas reformas, já que no decorrer dos séculos a Igreja crescia juntamente de seus devotos.

Em 1926, seu momento mais difícil, a Igreja quase foi vendida para poder iniciar uma nova construção em seu antigo terreno. Se não fosse pela vontade da congregação scalabriniana e da comunidade, ela certamente teria sido demolida e deixaríamos de ter esse patrimônio, agora sim, devidamente tombado.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Santa Ifigênia

A Igreja foi a primeira catedral de São Paulo. Ela foi erguida ao alto do morro no Vale do Anhangabaú e tinha o nome de Nossa Senhora da Conceição. Porém, em 1801 o Príncipe Regente Dom João, determinou que a irmandade de Santa Ifigênia, uma santa etíope que atendia as preces dos negros alforriados, também se estabelecesse por ali.

Os padres sacramentinos são quem cuidam da Igreja, tombada pelo patrimônio histórico e cuja arquitetura é dominantemente gótica. A paróquia é muito devotada por pessoas que buscam alcançar a casa própria.

Diz a história, que ocorreu um grandioso incêndio na casa de Santa Ifigênia e de seu irmão São Mateus. A casa que eles moraram foi toda queimada, porém todos sobreviveram. Por isso muitas pessoas vêm pedir a realização do sonho da moradia e agradecer pelas graças atendidas.

A Igreja que tem a particularidade de ter dois santos padroeiros é a casa aberta de todos. Como às vezes ocorre com a nossa própria residência, ela atualmente está em uma pequena reforma. Contudo está e continuará sempre de portas abertas para os fieis, devotos e o público em geral, para que assim eles se sintam em casa.

Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco

A Igreja que ficou fechada por sete anos, reabriu há apenas dois meses. O irmão Romário Freitas disse que a Igreja começou em 1642 como um pequeno oratório anexo ao convento franciscano.

O pequeno oratório cresceu e virou uma capela inspirada na Igreja da Luz, ambas com projeto do Frei Galvão. Toda a rica decoração faz menção a vida de São Francisco, sua vida, momentos e chagas.

A igreja teve seus altares, estátuas e santos de roca reformados. A reforma capitaneada pela Cúria de São Paulo foi grande. Romário conta que antigamente era perigoso até mesmo cair no vão da escada. Segundo ele, a Igreja desabaria em alguns anos.

Com simplicidade, humildade e lemas franciscanos, os irmãos esperaram despretensiosamente as melhorias e elas não poderiam ser melhores. A Igreja recém aberta é um ótimo passeio, e os sempre acessíveis irmãos franciscanos enriquecem ainda mais a visita.

Capela Nossa Senhora das Almas dos Aflitos

Talvez essa seja a mais particular das Igrejas centrais. Localizada ao lado da movimentada Avenida Liberdade, ela se encontra em uma escondida rua, a Rua dos Aflitos. A área ganhou esse nome, pois antigamente era um cemitério de párias sociais da época, doentes, deficientes mentais, viciados e indigentes de toda sorte.

A capela tem um padroeiro particular, Chaguinha, um soldado que se rebelou pelo atraso de cinco anos dos salários para a corporação e foi enforcado pela sua conduta contestatória. Reza a lenda que na ocasião do enforcamento, a corda teve que ser estendida três vezes até o momento derradeiro. A morte chocou e comoveu a cidade de São Paulo.

Por ser um local que séculos atrás era o destino de muitas pessoas diferentes, a capela é procurada por mais gente de outras religiões do que as outras. Os kardecistas e umbandistas são freqüentadores assíduos e às vezes vem de muito longe para acompanhar religiosamente as missas que acontecem todas as segundas, afirmou Ilth Maria, responsável pela capela.

A singular capela fincada no multicultural bairro da Liberdade é um achado, mas não se esqueça: quando for entrar na capela, bata levemente três vezes na porta, em homenagem a Chaguinha.

SERVIÇO

Igreja Santo Antonio

Endereço: Praça do Patriarca, 49 – Centro – São Paulo.

Horário das missas: De segunda a sábado, às 07h30, 09h00, 12h00 e 18h00. Domingo, às 9h e às 18h.

Telefone: (11) 3242-2414.

Paróquia Nossa Senhora da Conceição

Endereço: Rua Santa Ifigênia, 30 – Centro – São Paulo.

Horário das missas: de segunda a sexta, às 12h30 e às 18h30. Sábado, às 18h. Domingo, às 9h, 11h e 18h.

Telefone: (11) 3229-6706.

Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco

Endereço: Largo São Francisco, 133 – Centro – São Paulo.

Horário de funcionamento: de segunda a domingo, das 8h às 18h. Missas: segunda, às 7h30 e às 12h. De terça a sábado, às 7h30, 10h30, 12h e 15h. Domingo, às 7h30, 9h,10h30 e 12h.

Telefone: (11) 3291-2400/ 3291-2403.

Site: http://www.franciscanos.org.br

Capela Nossa Senhora das Almas dos Aflitos

Endereço: Rua dos Aflitos, 70 - Liberdade, São Paulo

Horário de funcionamento: de segunda a domingo, das 9 às 17. Missas: segunda às 15

Telefone: (11) 3275-2028

Site: http://www.facebook.com/capeladosaflitos.liberdade

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro