São Paulo, SP, 24/06/2018
 
04/11/2014 - 13h56m

Atibaia 1

 

Pela primeira vez em muitos anos, Atibaia deixa de ter representantes na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal. Os dois principais políticos da cidade - o deputado estadual Beto Trícoli, do PV, e o deputado federal Roberto Santiago, do PSD - não conseguiram votos suficientes para se reeleger.

A cidade de 130 mil habitantes e 98 mil eleitores ficou dividida com o surgimento de três candidaturas para deputado estadual. As constantes brigas políticas também serviram para confundir a cabeça dos moradores.

Em consequência, dezenas de candidatos vindos de outras regiões aproveitaram para fazer a festa, ficando com grande parte dos votos.

Atibaia 2

Ao avaliar a situação, a conclusão óbvia: todos perderam. A cidade, a população, os políticos. Pensando nisso, algumas lideranças de bom senso começam a falar em unir dois ferrenhos adversários, o ex-prefeito Beto Trícoli e o atual prefeito Saulo Pedroso.

Caso a paz entre os dois não seja selada rapidamente, o atual presidente da Câmara, Rodrigo Parras, do PSDB, vai correr praticamente sozinho para conquistar a Prefeitura em 2016. Bom estrategista e dono de 14 mil votos como candidato a deputado estadual, quase sem fazer campanha, ele sonha com o cargo há muito tempo.

Atibaia 3

O vazio político da cidade chegou a tal ponto que nos últimos dias surgiu um terceiro grupo se movimentando para lançar o nome de Edmir Chedid, do DEM, candidato a prefeito de Atibaia.

De família tradicional, deputado estadual, articulador competente, Chedid nasceu em Bragança Paulista, cidade que disputa com Atibaia a hegemonia da região bragantina.

Nas últimas eleições conseguiu a maior votação da história da região - 167.909 votos. Seus admiradores dizem que é difícil acontecer, quase impossível, mas se realmente for candidato ninguém na cidade terá condições de enfrentá-lo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro