São Paulo, SP, 21/06/2018
 
03/05/2015 - 09h57m

Atibaia 350 anos: mais um pouco da história do Museu Municipal

Agência Hoje/Sandra Mello 
Agência Hoje/Arquivo
Museu Municipal João Batista Conti - Atibaia
Museu Municipal João Batista Conti - Atibaia
  • Museu Municipal João Batista Conti - Atibaia

São Paulo (Agência Hoje) - Atibaia comemora 350 anos no próximo mês de junho. Mais que um lugar charmoso para passar o final de semana e aproveitar um friozinho, a cidade guarda atrações que podem tornar ainda mais interessante a visita.

A cidade tricentenária possui alguns bens tombados, entre eles: a Casa de Câmara e Cadeia, tombada pelo IPHAN – Instituto de Preservação do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1955 e também pelo CONDEPHAAT; o Sobrado Julia Ferraz e a Serra de Atibaia, ou Serra do Itapetinga, tombados pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico estadual, além do tombamento pelo Conselho Municipal de Cultura.

A construção da Casa de Câmara e Cadeia foi iniciada em 1834, concluída em 1836 e reformada pelo IPHAN em 1958. A antiga casa era originalmente feita no sistema de taipa de pilão, técnica de origem árabe que consiste em apiloar (compactar) fortemente terra úmida entre pranchas de madeira afastadas por travessas também de madeira. Esse sistema foi muito usado nas construções paulistas entre o século XVI e a primeira metade do século XIX.

O prédio da Casa de Câmara e Cadeia é um sobrado de planta simples, com telhado em quatro águas, janelas balcão no pavimento superior e janelas de peitoril no térreo. Ainda preserva as grades de ferro nos ambientes que eram usados como celas.

Hoje o prédio, que também é tombado pelo Conselho Municipal de Cultura, funciona como museu e guarda um pouco da história da cidade. Vale a pena uma visita para ver o acervo da época do Brasil Colônia e Império.

São muitas imagens de madeira e de barro do século XVII, vestuário, mobília e moedas antigas, além de fotos de Atibaia. Também são expostas peças de arte sacra e obras de Yolando Malozzi, escultor atibaiense, e de Benedito Calixto, considerado um dos maiores pintores paulistas do início do século XX.

A criação do museu foi iniciativa do então prefeito Walter Engrácia de Oliveira e sua inauguração ocorreu em 1954. O nome do museu é uma homenagem feita em 1961 ao seu organizador, João Batista Conti, colecionador de peças que ajudou a montar o acervo inicial.

Em agosto de 2014 a Câmara Municipal aprovou a Lei 4.251 que concede o direito real de uso de uma área com 28.973,75m² para o ITEC – Instituto Tecnológico da Construção Civil. Em contrapartida, o ITEC arcará com os custos das obras necessárias à implantação da sala de reserva técnica do museu, obras e adaptações para acessibilidade, além da execução de projeto para restauração do prédio, através da contratação de Arquiteto especialista em prédios tombados. O prazo para a implantação das melhorias é de dois anos e para a conclusão é de quatro anos.

A partir do próximo dia 14 de maio e até 30 de junho o Museu João Batista Conti participa da 13ª Semana Nacional de Museus, com exposições “A História da Captação da Água em Atibaia” e “Nossas Águas”. A exposição apresenta fotos, documentos, objetos de medição de água, chafariz, filtros de água e outros itens pertencentes aos acervos da SAAE, do Clube Atibaiense de Fotografia e do próprio Museu Municipal.

Serviço

Museu Municipal João Batista Conti

Horário de Funcionamento: terça a domingo, das 11h30 às 17h30

Localização: Praça Bento Paes, s/n - Centro

Telefone para contato: (11) 4412-7153

E-mail: museu@atibaia.sp.gov.br

 LEIA TAMBÉM

Parque Edmundo Zanoni é boa opção de passeio e diversão

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro