São Paulo, SP, 18/08/2019
 
05/09/2015 - 23h04m

Atletas da seleção de canoagem ficam 8 meses sem receber dinheiro de patrocínio

Agência Brasil 

Rio de Janeiro - O Desafio Internacional de Canoagem Velocidade, décimo evento-teste para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, que começou no dia 4 e termina domingo (6), ficou marcado pelo boicote de quatro atletas da Seleção Brasileira de Canoagem.

Isaquias Queiroz, Erlon de Souza, Ronilson de Oliveira e Nivalter Santos cobraram da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) o recebimento de uma verba do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), em atraso há oito meses.

Além da falta do repasse, uma das reclamações foi a má condição dos alojamentos em que eles [atletas] estão hospedados, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, zona sul do Rio. Ronilson de Oliveira disse não entender o motivo de todos esses problemas. “Somos considerados os quatro melhores atletas de canoagem do Brasil. Merecemos isso?

A gente vê, por exemplo, os atletas que treinam lá em Curitiba sendo muito bem atendidos, bem tratados. Por que não a gente também? Por que alguns atletas recebem verba e a gente está há oito meses esperando?”

Isaquias Queiroz, medalhista de ouro no Mundial de Canoagem de Milão, na Itália, reforçou a opinião de Ronilson. “Merecemos respeito. Afinal, somos os quatro nomes mais fortes do esporte no Brasil. Estamos sempre trazendo resultados significativos para o país. Se houver uma punição e ficarmos fora dos Jogos Olímpicos, vai ficar estranho para eles, que estão tirando grandes competidores de um evento do tamanho das Olimpíadas e enfraquecendo o Brasil”.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro