São Paulo, SP, 17/06/2019
 
18/07/2016 - 11h44m

Atletas patrocinados pela Petrobras buscam medalhas na Olimpíada

Agência Brasil/Vladimir Platonow 
Agência Brasil/Fernando Frazão
Atletas que representarão o Brasil nos Jogos Rio 2016 estão confiantes para conquistar medalhas nas competições
Atletas que representarão o Brasil nos Jogos Rio 2016 estão confiantes para conquistar medalhas nas competições

Rio de Janeiro - A Petrobras recepcionou os atletas patrocinados pela estatal que vão representar o Brasil nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, de 5 a 21 de agosto próximo. O presidente da empresa, Pedro Parente, posou para foto ao lado dos atletas, na sede da empresa, e ressaltou que torcerá por todos: "Para nós, é uma honra a Petrobras participar dessa trajetória e a gente deseja que ela seja culminada com medalhas. Nós todos vamos torcer muito por isso".

Foram convidados para a cerimônia Isaquias Queiroz, da canoagem de velocidade; Marcos D'Almeida, do tiro com arco; Fernando Saraiva Reis e Jaqueline Ferreira, do levantamento de peso; Evandro e Pedro Solberg, do vôlei de praia; Iris Tang Sing, Julia Vasconcelos e Venilton Teixeira, do taekwondo.

Também estiveram presentes Andreia Bandeira, Joedison Chocolate, Juan Nogueira, Julião Neto, Michel Borges, Patrick Lourenço, Robenilson de Jesus e Robson Conceição, do boxe; Amanda Simeão, Fernando Scavasin e Taís Rochel, da esgrima; Fernanda Nunes, Vanessa Cozzi, Willian Giareton e Xavier Vela, do remo.

Fernando Saraiva disse estar certo de que conseguirá garantir uma medalha para o Brasil, embora admita que a concorrência é grande, principalmente com países tradicionais, como Irã, Geórgia e Rússia, esta ameaçada de não estar presente, por problemas com doping.

“A expectativa é a melhor possível. Queremos brigar pelo pódio. Atualmente estamos em nono no lugar do ranking mundial”, disse Fernando, que consegue levantar 440 kg no total. Aos 26 anos, ele treina desde os 11 anos de idade e espera competir em mais uma Olimpíada pelo menos.

O esgrimista Fernando Scavasin também sonha em conquistar uma medalha, embora admita que enfrentará competidores muito fortes, principalmente da Itália, da Rússia, da França e dos Estados Unidos.

“É a minha primeira Olimpíada. A gente espera medalha dessas quatro equipes, mas vamos ver se conseguimos beliscar alguma coisa, para atrapalhar um pouco o caminho deles. Uma Olimpíada é uma prova muito curta. Numa Copa do Mundo, nós temos 300 competidores; num grand prix ou num mundial, temos 200 competidores e numa Olimpíada, temos 38”, disse Scavasin.

Já o canoísta Isaquias Queiroz estava confiante de que conquistará uma medalha. “O que me deixa mais tranquilo é a base de treinamento. Eu vou para ganhar as três medalhas. Estou treinando muito para isso”, disse Isaquias, que terá entre os seus principais competidores atletas da Alemanha, Hungria, Rússia e República Tcheca. Ele treina canoagem desde os 11 anos de idade.

A pugilista Adriana Araújo, surpresa na Olimpíada de Londres, em 2012, quando conquistou uma medalha de bronze, agora espera garantir mais medalhas para o país.

“Estar dentro de uma Olimpíada é a realização de qualquer atleta. Tenho certeza de que será extraordinário defender o nosso país dentro de casa. Estou mais madura e mais consciente, em busca de uma nova medalha”, declarou Adriana.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro