São Paulo, SP, 18/11/2019
 
29/10/2014 - 12h53m

Atualização da Política Nacional de Promoção da Saúde prioriza o combate a doenças crônicas

Agência Brasil/Aline Leal 

Brasília - A Política Nacional de Promoção da Saúde, uma atualização da política lançada em 2006, foi apresentada na última terça-feira (28) e está voltada para a diminuição das doenças crônicas.

Ela reforça políticas que combatam os fatores de risco para a saúde, como tabagismo, sedentarismo e má alimentação. Ela também prevê o aumento dos investimentos na área de atendimento.

O anúncio foi feito na abertura da 14ª Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doença (Expoepi), em Brasília.

O evento vai discutir os avanços e desafios na saúde do Brasil, como, por exemplo, o combate ao mosquito transmissor da dengue e do chikungunya e as ações de emergência para evitar a transmissão de doenças como o ebola.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, presente à cerimônia, destacou que entre as prioridades da nova política estão temas como “a formação e educação permanente, alimentação adequada, prática de atividade física, enfrentamento ao tabaco, enfrentamento ao uso abusivo de álcool e outras drogas e a promoção da cultura da paz e dos direitos humanos”, disse.

Nesse sentido, para incentivar a prática de hábitos saudável na população, está o Programa Academia da Saúde, que prevê a implantação de polos com equipamentos e profissionais qualificados para a orientação de atividades físicas.

A redução gradativa de 2% da mortalidade prematura por doenças crônicas é o objetivo principal do Plano de Ações de Enfrentamento às Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro