São Paulo, SP, 03/07/2022
 
13/07/2015 - 11h21m

Banco do Brics deve financiar projetos de risco, afirma ex-dirigente sul-africano

Agência Lusa 

Nova York - O novo banco de desenvolvimento, lançado pelo Brics, grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, vai financiar projetos que ofereçam mais riscos e desafios do que os apoiados por tradicionais instituições financeiras, como o Banco Mundial, disse o ex-dirigente do Banco Central da África do Sul Tito Mboweni.

"Precisamos de um banco de desenvolvimento, mas em novo nível: queremos abarcar os projetos de infraestruturas mais arriscados e outros projetos de desenvolvimento. Notamos que há problemas com o grupo Banco Mundial", disse Tito Mboweni.

O dirigente disse que haverá casos em que a nova instituição trabalhará em conjunto com o Banco Mundial. No entanto, o novo banco de desenvolvimento será uma alternativa de financiamento ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional. A instituição, lançada pelo Brics, deverá começar a operar no primeiro trimestre do próximo ano, com capitais dos países dos Brics. O capital inicial será de US$ 50 bilhões, que pode ir até a US$ 100 bilhões no futuro.

O Brics representa mais de um quarto da produção econômica mundial, de acordo com o site do banco, que ficará baseado em Xangai. O primeiro presidente será Kundapur Vaman Kamath, presidente do Banco ICICI, a maior instituição financeira indiana privada.

O banco terá uma filial em Joanesburgo, dirigida para a África subsariana.

Hoje São Paulo

© 2022 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro