Bar do Juarez faz sucesso em Pinheiros, Moema, Brooklin, Itaim - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 18/08/2018
 
12/05/2013 - 00h43m

Bar do Juarez faz sucesso em Pinheiros, Moema, Brooklin, Itaim

Agência Hoje 
Bar do Juarez/Divulgação
Costelinha de porco, exemplo de petisco com grande saída
Costelinha de porco, exemplo de petisco com grande saída

O Bar do Juarez faz sucesso e conquista cada vez mais clientes em quatro bairros de classe média alta de São Paulo, apostando em uma receita tradicional, atendimento de qualidade, alimentos preparados com capricho, alto astral e chopp sempre cremoso e bem gelado.

A primeira casa nasceu em Moema, em 1998, com o nome pouco sugestivo de Gênius Botequim. Já no ano seguinte o proprietário Juarez Alves comprou a parte do sócio, contratou um profissional de marketing e mudou tudo - do nome à estrutura, passando pelo estilo de atendimento e a personalidade do seu bar.

O resultado foi fantástico. Manteve os clientes antigos e ganhou novos, criou o Bar do Juarez e passou a circular com mais desenvoltura junto às mesas e participar das conversas. Em pouco tempo abriu a segunda casa e logo depois, estimulado pelos próprios frequentadores, chegou aos quatro bairros mais requisitados pelos executivos de São Paulo - Itaim, Moema, Brooklin e Pinheiros. 

Tudo Começou em 1973

É a própria equipe de Juarez Alves quem conta a história do empreendedor. "É difícil não se surpreender com a trajetória de Juarez Alves, proprietário do badalado Bar do Juarez, que conta com quatro unidades em São Paulo: Itaim, Moema, Brooklin e Pinheiros.

"Natural de Ibitira, Bahia, o empresário chegou à cidade de São Paulo em 1973, aos 12 anos, acompanhado dos pais e do irmão.

"A família se estabeleceu no bairro do Capão Redondo, e desde muito cedo o jovem Juarez sonhou em montar seu próprio negócio. Mas o percurso até alcançar este objetivo exigiu muito trabalho e primeiro foi preciso passar por vários empregos e ganhar muita disciplina para juntar o capital.

"Em 1973, então com 12 anos, Juarez conseguiu seu primeiro emprego numa fábrica de calçados, onde fixava palmilhas. Um ano depois, convidado por um primo de sua mãe, entrou no ramo de bares, sua paixão até hoje. No caso, o emprego foi como balconista na lanchonete “Pap Bem”, ao lado da famosa “Churrasqueto”, e do outro lado o “Pão Pão Queijo Queijo”, na rua Sete de Abril, região central de São Paulo.

"Logo, porém, esta filial do “Pap Bem” foi vendida e o jovem foi transferido para a unidade na Rua Joaquim Nabuco, no Brooklin, onde funcionava o “Big Sandwich” ao lado da “Aleotti”. No intervalo de menos de dois anos, Juarez foi promovido a chapeiro e, depois, a garçom".

O próprio Juarez revela: “Desde o início descobri o prazer de trabalhar servindo as pessoas, colaborando enfim para que elas tivessem momentos agradáveis com a família e com os amigos. Logo percebi que meu próprio negócio teria de ser neste ramo”.

O empresário passou ainda, entre 1980 e 1986, por outro estabelecimento, o “Restaurante Jucalemão”, na Álvaro Rodrigues, também como garçom, antes de comprar seu próprio negócio . Esta oportunidade surgiu quando Juarez e seu irmão juntaram suas economias e, em parceria com um terceiro sócio, abriram no bairro de Pinheiros o “Restaurante Bier Bier”, que servia comida alemã.

O negócio deu tão certo que um ano depois era aberta uma filial no bairro de Campo Belo. Essa unidade, porém, foi vendida rapidamente e os sócios permaneceram com o ponto de Pinheiros até 1997.

Em seguida, no ano de 1998, decidiram vender a casa e abrir o empreendimento que hoje é a unidade Moema do Bar do Juarez.. Na época, o estabelecimento recebeu o nome de “Gênios Botequim”. Um ano depois, em 1999, Juarez Alves comprou a parte do sócio e contratou uma pessoa da área de marketing para impulsionar a imagem do bar.

Uma das sugestões foi dar ao estabelecimento o nome de seu dono, destacando, assim, a própria trajetória de Juarez. “Foi uma decisão sábia, pois os clientes começaram a me identificar, a se aproximar e a tornarem-se também amigos”, conta.

Inspirado nos famosos botecos do centro velho da cidade de São Paulo, lugares onde um “bom papo” atravessava a madrugada e as pessoas quase acabavam esquecendo-se de voltar para casa, o “Bar do Juarez” logo tornou-se referência e ponto de encontro para o público que dirige-se à região para o happy hour ou para ficar no bairro noite adentro.

Com o sucesso do estabelecimento, Juarez passou a procurar em 2001 um imóvel para a segunda unidade. “À primeira vista me encantei com o ponto do Itaim”, recorda. O bar, que possui dois pavimentos, foi inaugurado em 2003. Neles destacam-se os painéis criados pelo artista plástico Fábio Delduque, que pintou cenas que remontam o antigo modo de vida da cidade de São Paulo. São imagens da avenida Paulista, retratos bucólicos de uma época que a região era tomada por grandes propriedades e o transporte era feito com charretes.

Em 2006, a pedido dos clientes que já lotavam as duas casas, Juarez tomou a decisão de abrir novas unidades do Bar e saiu em busca dos endereços ideais O resultado da empreitada são as unidades Brooklin e Pinheiros, ambas inauguradas em 2008 mantendo o mesmo padrão de qualidade e ambiente alto-astral que permitem ao Bar do Juarez figurar entre os mais badalados points da cidade.

O segredo para o sucesso dos empreendimentos? Juarez dá uma resposta direta: “Acho que deve-se a nos preocuparmos em oferecer o melhor para os nossos clientes. Ou seja, atendimento de alta qualidade, alimentos preparados com capricho e cuidado, além de chopp cremoso e bem gelado”.

Hoje casado e pai de dois filhos, de 18 e 22 anos, Juarez Alves é um empresário realizado na área que escolheu. Prova disso é que possui um vasto repertório de histórias para contar aos filhos e aos amigos. Conversas de botequim, claro, mas como não poderia deixar de ser, sempre muito saborosas. Em 2013, a primeira unidade do Bar do Juarez completou 14 anos.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro