São Paulo, SP, 23/09/2019
 
04/02/2015 - 11h50m

Branca de Neve: 77 anos do primeiro filme de animação em cores

Agência Hoje 
Reprodução

São Paulo (Agência Hoje/Isabela Guiaro) - O filme Branca de Neve e os Sete Anões, lançado em dezembro de 1937, é o primeiro longa-metragem de animação produzido nos Estados Unidos, o primeiro totalmente a cores, o primeiro a ser produzido por Walt Disney e o primeiro filme dos considerados Clássicos Disney.

A história é baseada no conto de fadas “Branca de Neve”, escrito pelos Irmãos Grimm e publicado entre os anos de 1812 e 1822, num livro com diversos fábulas, intitulado "Kinder-und Hausmaërchen" (em alemão, "Contos de Fada para Crianças e Adultos"). Na versão original, há várias cenas que foram descartadas por serem consideradas pelos estúdios Walt Disney como desnecessárias e chocantes para o público a qual o filme se destinava, que era o infantil.

Enredo

O filme conta a história de Branca de Neve, uma princesa linda e bondosa. Sua madrasta, também muito bonita, tem um espelho mágico e, ao perguntar a ele quem era a mulher mais bela de todas que existem, descobre que esta é sua enteada. Com inveja, resolve, então, matá-la.

A madrasta contrata um empregado para assassiná-la e levar seu coração como prova. Ele, porém, não tem coragem e a deixa fugir para a floresta. Para não correr o risco de a rainha descobrir, ele mata um animal e leva seu coração. Ao perguntar novamente ao espelho, porém, ela descobre que Branca de Neve continua viva.

Enquanto isso, Branca de Neve procura abrigo em uma pequena casa. Ao entrar, não vê ninguém, então resolve limpar e arrumar tudo, até cair no sono. Quando acorda, se depara com sete anões, que são os donos do local. Eles resolvem deixá-la ficar e cuidam para que a rainha não a encontre.

Porém, enquanto os anões trabalhavam, a rainha descobre onde a princesa está e se disfarça de uma velha senhora que vende maçãs. Ela pede para Branca de Neve provar uma e, ao dar uma mordida, a moça percebe que estava envenenada e cai em sono profundo, podendo apenas ser acordada com um beijo de amor verdadeiro. Mais tarde, ao perguntar ao espelho, a madrasta teve a confirmação: era a mais bela de todas.

Os anões a colocaram dentro de uma caixa de vidro para chorar a sua morte. Um príncipe encantado, que era o grande amor da vida de Branca de Neve, passava pela região e a viu naquelas condições. Deu-lhe um beijo e ela acordou. Assim, os dois viveram felizes para sempre.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro