São Paulo, SP, 23/06/2018
 
07/11/2013 - 19h44m

Brasil já tem 3,5 milhões de pequenos empreendedores; 872 mil só em São Paulo

Agência Hoje 
Divulgação
Cresce para 3,5 milhões o número de trabalhador por conta própria nas principais capitais brasileiras
Cresce para 3,5 milhões o número de trabalhador por conta própria nas principais capitais brasileiras

São Paulo (Agência Hoje) - Dos 3,5 milhões de pequenos empreendedores indiiduais que estão cadastrados e legalizados no Brasil, 872 mil deles vivem em São Paulo, 422 mil no Rio, 372 mil em Minas e 238 mil na Bahia. Incentivados por programas federais, eles hoje contam com crédito a juros mais baixos, acesso a empresas e órgãos públicos onde podem vender seus produtos e chances de se tornarem donos de micros e pequenas empresas.

No universo dos trabalhadores por conta própria há de tudo um pouco. Desde os vendedores de pamonha, até as donas de casa que aproveitam o tempo livre para vender doces e salgados em bares e restaurantes. De acordo com pesquisas realizadas pelo Programa do Empreendedor Individual, o número de pessoas que optaram por se formalizar tem crescido.

Dona Zenaide de Jesus Martins Ferreira, 52 anos, que trabalha vendendo pamonha faz parte dessa estatística. Ela percorre as ruas de Brasília vendendo pamonhas há cinco anos, mas só em dezembro de 2012 foi informada sobre as vantagens de ser uma empreendedora individual formalizada .

“Eu vi a propaganda na TV falando dos benefícios de se cadastrar como empreendedora, a partir disso fui saber com uma amiga que já era formalizada o que precisava para fazer o cadastro, daí foi um passo até a formalização”, declara.

A vendedora de pamonha, que já trabalhou como telefonista, operadora de rádio amador e decoradora de festas infantis afirma que sempre procurou manter em dia as suas contribuições previdenciárias. “A gente não sabe nada do amanhã, principalmente, quando se trabalha na rua sujeito às condições do tempo. E quando fiquei sabendo dessa contribuição reduzida tratei logo de me cadastrar. Pago o meu INSS e as minhas outras contas com o dinheiro da venda das pamonhas”.

O Programa do Empreendedor Individual ajuda as pessoas a sair da informalidade e tem se destacado como uma política pública de incentivo, pois o objetivo é que o negócio dos trabalhadores prospere e, assim, eles possam migrar para micro ou pequenas empresas dentro do Simples Nacional. O apoio do Governo ocorre por meio de iniciativas como a desburocratização da legislação e a redução de alíquotas.

Para se cadastrar como empreendedor individual, o trabalhador precisa acessar pela internet o Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br) e no ícone Formalize-se , preencher os dados e imprimir o carnê de contribuição para ser pago em qualquer agência bancária ou casa lotérica. A inscrição é rápida, simples e segura.

O trabalhador que paga em dia as suas contribuições passa a contar com a cobertura da Previdência Social e acesso aos seguintes benefícios: aposentadoria por idade, (mulher aos 60 anos e homem aos 65 anos, após 15 anos de contribuição), aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio reclusão.

Além da cobertura da Previdência Social, o trabalhador legalizado passa a desfrutar de outras vantagens como ter um CNPJ, o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais e também a possibilidade de participar de licitações de venda para o Governo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro