São Paulo, SP, 19/09/2019
 
11/11/2014 - 10h30m

Brose conquista ouro no mundial de karatê; Vinicius ganha bronze

Agência Hoje 

Ribeirão Preto (Agência Hoje) - O atleta Douglas Brose, de Ribeirão Preto, ganhou a medalha de ouro e conquistou o bicampeonato mundial de karatê na categoria -60kg, ao vencer na final o holandês Geoffrey Berens. A disputa foi realizada em Bremen, na Alemanha.

Outro atleta de Ribeirão Preto, Vinicius Figueira, fez sua estreia em mundiais e também obteve grande destaque no campeonato, ao ficar com a medalha de bronze na categoria -67kg, Os dois receberam apoio dos patrocinadores Secretaria Municipal de Esportes – SME/Total Health/Clínica Collucci/Instituto Ricardo Aguiar.

Os caratecas comandados pelo treinador Ricardo Aguiar na Seleção e na equipe de Ribeirão Preto quebraram uma escrita: desde 1998, quando foi sede do mundial, o Brasil não conquistava mais de uma medalha, como no sábado, dia 8. O torneio disputado na cidade de Bremen teve a participação de 996 atletas de 116 países.

 Terceira Final

Além da preparação feita há dois anos, Brose destacou que fez um intensivo sobre o holandês Geoffrey Berens. “Eu conhecia ele, mas nunca nos enfrentamos em ligas mundiais. Passei a sexta-feira toda estudando, para chegar a essa final e conseguir fazer o meu jogo, tentando anular o dele para fazer os pontos e ganhar o combate”, disse o atleta brasileiro, que venceu por dois yukos a um.

“Foi um combate muito bom e difícil, assim como todos os outros. Agradeço a todos os brasileiros que torceram por mim, que acompanharam, mandaram mensagens. Graças à energia e ao apoio de vocês consegui essa medalha de ouro para o Brasil”, declarou o carateca, que já prometeu brigar pelo tricampeonato na Áustria, em 2016. Ele foi ouro em 2010, na Sérvia, prata em 2012, na França, e bronze em 2008, no Japão.

Terceiro colocado no primeiro mundial da carreira, Vinicius Figueira (-67kg) também já pensa no próximo torneio.

“Me sinto muito feliz, realizado. É o resultado de um trabalho que a gente vem fazendo há anos. Em 2012, no mundial de Paris, assisti pela TV, lá no Brasil, e falei: ‘no próximo vou estar no palco’. E hoje saio daqui com o bronze. Mas quero mais. Em 2016 quero um lugar mais alto”, afirmou o atleta, que na última luta derrotou o atual campeão europeu, o inglês Thomas Jordan.

Feliz com as conquistas, o técnico Ricardo Aguiar acredita em voos mais altos. “Foram apenas dois anos de trabalho para aparecer esse resultado. Ainda temos muito a crescer, mas estamos no caminho certo, e esse é o mais importante”, afirmou.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro