São Paulo, SP, 24/03/2017
 
25/07/2015 - 13h57m

Cães de raça x SRD

Juliana Lopes 
ABr/Fábio Rodrigues Pozzebom
Cães sem raça definida podem ser a melhor escolha
Cães sem raça definida podem ser a melhor escolha

Cães de raça: por que o vira-lata pode ser a melhor escolha

As raças de cachorro mais antigas datam de séculos antes de Cristo, mas isso não muda o fato de que são resultado de seleção artificial por humanos. Todas as raças de cachorro pertencem na realidade à mesma espécie, Canis lupus familiaris, sendo que as raças são definidas por convenções não-científicas.

De certo modo os cães eram, originalmente, todos "vira-latas". Foi a partir da procriação selecionada, imposta pelo homem a fim de exacerbar as características físicas, estéticas e comportamentais que mais lhe conviessem nos animais, que surgiu o conceito de raças de cachorro.

Para se adequar aos padrões de uma raça reconhecida, o cão precisa exibir suas características específicas: o focinho curto e achatado do pug, o corpo alongado do basset, as dobrinhas do shar-pei.

O problema é que para garantir que essas características se mantenham numa linhagem de cães, muitos reprodutores recorrem ao incesto, ou seja, a cruza entre animais de parentesco muito próximo. Além de perpetuar as características desejadas, isso acaba perpetuando também diversas doenças congênitas.

É por isso algumas doenças são tão comuns entre os cães de raça "pura", como a displasia coxo-femural, onde uma alteração na ligação entre o fêmur e a pélvis do animal pode causar dificuldade para andar ou até perda do movimento nas patas.

O pug é severamente afetado pelo formato extremo de seu crânio. Seus grandes olhos tendem a saltar e muitas vezes têm problemas no sistema respiratório, causando desde dificuldade respiratória até desmaios.

Além do pug, cães como o shar-pei e o buldogue podem desenvolver problemas de pele decorrentes da pele excessiva em dobras, causando desconforto e infecção. O buldogue tem ainda o problema do crânio muito grande, obrigando os reprodutores dessa raça e realizarem parto por cesariana, sendo muito difícil o parto normal.

O basset ou dachshund, o famoso "salsichinha", tende a problemas de coluna, dificultando sua locomoção, e alguns foram desenvolvidos para terem orelhas tão longas que arrastam no chão e se tornam um estorvo, acumulando sujeiras.

Muitos desses problemas podem e devem ser evitados através da cruza de animais considerados de raça com os de sem raça definida, relaxamento dos padrões das raças, e principalmente conscientização dos reprodutores de cães, para que façam uma análise extensiva da árvore genealógica dos cães de reprodução e não perpetuem uma linhagem com doenças genéticas ou características físicas extremas que comprometam a saúde dos animais.

É também dever de quem vai comprar um cachorro de raça avaliar o vendedor, certificando-se que este é ético no tratamento com os animais. A adoção de animais sem raça definida pode ser uma ótima opção para um cão muitas vezes mais saudável e menos custoso do que um de raça.

De um jeito ou de outro, o importante é fazer uma decisão informada na hora de adquirir um cachorro ou outro animal de estimação, levando em consideração a possibilidade de ele ter problemas de saúde ou precisar de tratamento especial. Cuidar de um ser vivo é uma grande responsabilidade, e uma decisão que deve ser tomada com respeito.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro