São Paulo, SP, 19/06/2019
 
11/08/2016 - 14h32m

Campanha Olimpíadas sem Racismo é lançada na Casa Brasil

Portal EBC 
Agência Brasil/Arquivo
Cartilha contra o racismo é bilíngue e traz orientações sobre como identificar e denunciar os crimes de racismo
Cartilha contra o racismo é bilíngue e traz orientações sobre como identificar e denunciar os crimes de racismo

Brasília - Rafaela Lopes Silva, de 24 anos, mulher, preta, lésbica e de origem humilde. Quando foi desclassificada da Olimpíada de Londres, em 2012, ela se tornou alvo de ataques virtuais carregados de preconceitos. Rafaela quase desistiu do esporte.

O racismo foi um dos preconceitos contra a judoca e nem todos que sofrem esse tipo de ataque conseguem superá-lo.

Para tentar acabar com o racismo nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), elaborou a cartilha “Por Olimpíadas sem Racismo”.

Para Mário Lúcio Duarte Costa, o goleiro Aranha, que no ano passado também foi vítima dos ataques virtuais, só a denúncia e a punição podem acabar com as manifestações racistas.

A cartilha contra o racismo é bilíngue – em português e em inglês – e traz orientações sobre como identificar e denunciar os crimes de racismo e injúria racial.

A cerimônia de lançamento da campanha contra o racismo será nesta quinta-feira (11), às 17h, na Casa Brasil, espaço para divulgação das ações do governo federal montado no Boulevard Olímpico.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro