Clínicas expressas surgem para melhorar acesso a saúde em SP - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 21/08/2018
 
24/06/2015 - 19h42m

Clínicas expressas surgem para melhorar acesso a saúde em SP

Agência Hoje 
Reprodução
Consultas não exigem agendamento para atendimento e tem preço único de R$ 89
Consultas não exigem agendamento para atendimento e tem preço único de R$ 89

São Paulo - Uma pesquisa elaborada no segundo semestre de 2014 pelo Datafolha apontou que 87% dos brasileiros estão insatisfeitos com os serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo o acesso e o tempo de espera para o atendimento como os pontos mais criticados. 

Na mesma linha, os conveniados pelos planos de saúde também sofrem segundo levantamento feito pela Associação Paulista de Medicina (APM): 80% dos pacientes queixam-se do atendimento em prontos-socorros.  A partir desse cenário, os empresários Guilherme Berardo e Marcos de Lima decidiram criar o Dr. Agora, uma rede de clínicas expressas para diagnósticos mais simples que necessitam de avaliação e prescrição médica.

Os locais terão técnicos de enfermagem e clínicos gerais qualificados para atender patologias como amigdalite, sinusite, conjuntivite, resfriado comum, gripe, diarreia aguda, rinite, otite externa e infecção no trato urinário. Segundo Guilherme Berardo, as consultas não exigem agendamento para atendimento e tem preço único de R$ 89,00.

“A proposta é atender os pacientes que precisam de atendimentos ambulatoriais de forma financeiramente acessível, rápida e eficiente, sem a necessidade de permanecer em filas dos prontos-socorros para serem avaliados”, explica. A primeira das seis clínicas que serão instaladas na Capital está localizada na esquina das ruas Funchal e Gomes de Carvalho, na Vila Olímpia (SP). As outras serão instaladas até o fim deste ano na região central (2), e nas zonas Leste (2) e Norte (1).

Ao chegar à clínica, o paciente passa por uma triagem rápida e cadastramento, na sequencia em consulta médica e recebe a prescrição de acordo com a enfermidade diagnosticada.  Em condições não atendidas pelo Dr. Agora, há a recomendação logo na triagem para que se procure um pronto-socorro mais próximo. “Além de consultas e vacinas, está no planejamento promover campanhas antitabagismo, obesidade, controle de diabetes e pressão”, revela Berardo.

O empresário acrescenta ainda que esse modelo de clínica ajuda a desafogar o sistema de saúde da Capital e região metropolitana , já que o atendimento para esses tipos de doenças que podem ser resolvidas pelo Dr. Agora são os principais responsáveis pela demanda desordenada do sistema.Segundo Berardo, esse panorama colabora para previsão da inflação médica, que neste ano deve ser de 18%, segundo pesquisa recente realizada pela Aon – líder mundial em consultoria de benefícios e capital humano.

”Os hospitais são preparados e equipados para atender pacientes de extrema urgência, ou com doenças mais complexas. Porém, as patologias mais simples são as maiores responsáveis pela superlotação desses centros médicos e podem ser atendidas pelo Dr. Agora. Isto reduz os custos para o sistema e alivia as grandes esperas geradas por esta demanda desordenada. Fora isso, ainda há o alto risco de contaminação, o que pode gerar problemas maiores para os pacientes”, comenta.

Para Guilherme Berardo, outro ponto favorável para o negócio expandir por São Paulo é o fato de ter sido inspirado no modelo americano idealizado por Rick Krieger, que inclusive é sócio de Berardo e Lima no Dr. Agora. Atualmente, o conceito de clínicas de varejo, como é conhecido lá, gera a economia de US$ 800 mi por ano ao sistema, atende 20 milhões de pacientes anualmente e 88% dessas clínicas estão espalhadas por regiões metropolitanas. Além disso, o modelo que foi case de sucesso avaliado pela Harvard Business School e atinge, constantemente, o patamar de mais de 85% de satisfação dos usuários.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro