São Paulo, SP, 18/08/2019
 
01/03/2016 - 11h39m

Conselho de Segurança da ONU vota nesta terça-feira sanções contra Coreia do Norte

Agência Lusa 

Nações Unidas - O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) vai votar nessa terça-feira (1º) um projeto de resolução, redigido pelos Estados Unidos, impondo novas sanções à Coreia do Norte na sequência dos recentes testes nuclear e de mísseis. Os 15 membros do Conselho de Segurança da ONU vão se pronunciar sobre as medidas que, segundo os Estados Unidos, vão impor as mais duras sanções à Coreia do Norte.

Os Estados Unidos apresentaram um projeto de resolução ao Conselho de Segurança na semana passada, depois de firmado um acordo com a China, o único aliado de Pyongyang, sobre as novas sanções. A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Samantha Power, afirmou que a adoção da resolução irá enviar “uma inequívoca e inflexível mensagem ao regime da Dprk: o mundo não vai aceitar a sua proliferação. Haverá consequências para as suas ações”.

A diplomata se referia ao nome oficial da Coreia do Norte – República Popular Democrática da Coreia. A medida “vai abrir novos caminhos e representa o mais forte pacote de sanções imposto pelo Conselho de Segurança em mais de duas décadas”, disse Power. O Conselho de Segurança da ONU decidiu aplicar novas medidas contra a Coreia do Norte depois de o regime de Pyongyang ter realizado o seu quarto ensaio nuclear no dia 6 de janeiro e ter lançado um foguete espacial em fevereiro, com um satélite a bordo, considerado um teste encoberto de mísseis balísticos. Ambos constituem violações a uma série de resoluções da ONU.

Entre as medidas está um embargo total à venda de armas ligeiras, que completa as restrições já em vigor, assim como novas sanções financeiras contra bancos e ativos norte-coreanos, adicionando 17 indivíduos e 12 entidades à “lista”, incluindo a agência espacial norte-coreana e os seus serviços de inteligência.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro