São Paulo, SP, 17/10/2018
 
26/06/2012 - 17h17m

Criminosos atiram contra policial militar; atiradores fogem

Folhapress/Marília Rocha 

CAMPINAS, SP (Folhapress) - Criminosos atiraram contra um policial militar na noite de ontem na região de Campinas (93 km de São Paulo), fora do horário de serviço. Ele não foi atingido, e os atiradores fugiram.

Por volta das 23h20 de ontem, o policial voltava da academia para sua casa, em Santa Bárbara D"Oeste (135 km de SP), quando viu um Corsa Classic preto parado próximo a um matagal na rua onde mora, com três portas abertas. Ao notar a presença de três pessoas perto do carro, resolveu voltar.

O veículo, então, passou a seguir o policial, que se escondeu em uma praça. Quando achou que estava seguro, ele levantou e correu para um matagal, quando cruzou com uma motocicleta. O homem da garupa disparou seis vezes contra o policial, que revidou com dois tiros.

Segundo o boletim de ocorrência, ninguém foi atingido pelos tiros. Tanto o carro como a moto fugiram e até a tarde de hoje não tinham sido localizados pela Polícia Militar.

O caso será investigado pela Polícia Civil de Santa Bárbara D"Oeste.

Até o momento não há confirmação se o ataque tem relação com os casos recentes da região metropolitana de São Paulo, onde, desde o último dia 13, seis PMs foram mortos fora do horário de serviço, vestindo roupas civis.

SÃO PAULO

Desde a última sexta-feira, os cerca de 100 mil PMs do Estado estão em alerta devido aos ataques contra ônibus e às mortes de oito PMs. Entre a noite de ontem e a madrugada desta terça-feira, mais dois coletivos foram incendiados nas zonas sul e leste de São Paulo.

A polícia apura se os ataques são retaliação da facção PCC (Primeiro Comando da Capital) contra uma ação da Rota em maio, que matou seis na zona leste.

Existe, ainda, uma suspeita de que a transferência de Roberto Soriano, um dos chefes do PCC, para o presídio de Presidente Bernardes tenha relação com os ataques.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro