São Paulo, SP, 01/04/2020
 
26/04/2014 - 21h52m

Dengue atinge moradores da Lapa, Jaguaré, Rio Pequeno e Tremembé

Agência Hoje 
Divulgação
Agentes do setor de zoonoses da Prefeitura, fazem trabalho de orientação e combate à dengue no bairro do Jaguaré, próximo a divisa de Osasco
Agentes do setor de zoonoses da Prefeitura, fazem trabalho de orientação e combate à dengue no bairro do Jaguaré, próximo a divisa de Osasco

São Paulo (Agência Hoje) - Os casos de dengue aumentaram muito nos últimos dias em São Paulo, com registro de 3.050 notificações neste ano, representando uma taxa média de incidência de 27,1 casos para 100 mil habitantes. A Secretaria da Saúde da Prefeitura considera que a s ituação é crítica no Jaguaré, Lapa, Rio Pequeno e Tremembé.

O registro de casos de dengue neste ano em São Paulo chegou a 3.050, um aumento de 70% na comparação com o mesmo período de 2013 e patamar equivalente ao mesmo período de 2010. O dado considera as notificações recebidas nas primeiras 16 semanas epidemiológicas e pode variar na medida em que os casos são registrados pelas unidades de saúde.

Até o momento, a taxa de incidência da cidade é 27,1 (casos para cada 100 mil habitantes), considerada baixa de acordo com o Ministério da Saúde. Durante todo o ano passado foram 2.617 casos e índice 23,3.

Situação nos Bairros

Na Zona Oeste, os casos confirmados avançaram nos distritos já identificados nos balanços anteriores, próximos a Osasco. No Jaguaré, foram registrados 504 casos e a taxa de incidência é de 1010,8, reconhecido pelos médicos como muito alto. Na Lapa, foram 247 casos e índice de 375,7, considerado alto.

No Rio Pequeno foram notificados 194 casos e o índice é 163,8 (médio). Ainda na região, estão com taxa de incidência acima da média da cidade os distritos do Butantã (48), Jaguará (80,8) e Vila Leopoldina (70,9).

Na Zona Norte, outros dois distritos na divisa com Guarulhos também tiveram aumento de casos registrados. Em Tremembé, 253 foram notificados, com taxa de 128,3 (médio). No Jaraguá, são 85 casos e taxa de 46 (baixa).

A taxa de incidência também está alta em comparação com a média da cidade (27,1) nos em distritos da Zona Leste como o Carrão (87,7), Vila Jacuí (85,7) e Cidade Líder (49,8). Na região Sul, os casos avançam em Santo Amaro, com taxa de 64,3.

Combate e Prevenção

Para ajudar a combater a doença, a Prefeitura intensificou as ações, principalmente na região da Zona Norte. Na sexta-feira (18) realizou uma ação educativa dentro do Parque do Horto Florestal. Ações de bloqueios de criadouros foram feitas tanto na sexta (18) quanto no sábado (19) nas regiões dos bairros Jardim Vista Alegre, Elisa Maria e Jardim Paulistano.

Ainda no sábado (19) foi realizada uma ação de nebulização nas ruas próximas e na Escola Estadual Ruy Barbosa.

Na segunda-feira (21), as equipes de saúde fizeram outra ação de bloqueio de criadouros na região do Mandaqui. No mesmo dia, foi feita uma operação semelhante na área do Recanto dos Humildes, Alpes do Jaraguá, Jardim Ipanema, Vila Mirante e Vila Pereira Barreto, com distribuição de telas de caixa d’água quando necessário, além de bloqueio e nebulização na área da Vila Zatt. Na segunda (21) foi realizado ainda bloqueio de criadouros e nebulização nas regiões do Limão e Cachoeirinha.

Até o início do mês, a Prefeitura realizou orientação em 272 mil imóveis com panfletos, visitas e bloqueios de criadouro em 107 mil casas e comércios e nebulização em mais 11 mil com aparelho costal. Mais de 120 mil visitas foram feitas de casa em casa, além de ações em 6 mil pontos estratégicos, como desmanches, ferro velhos, floriculturas e borracharias. Além disso, a Prefeitura está reforçando as campanhas de rádio, metrô e ônibus.

Desde 7 de abril a Prefeitura realiza uma ação conjunta com o município de Osasco na região do Parque Continental (subprefeitura da Lapa), em área próxima ao limite entre as duas cidades. Foram realizadas nebulizações e trabalhos de orientação e bloqueio de criadouros.

Também foram distribuídas redes para a proteção das caixas d’água. Segundo a Covisa, o bairro recebeu três dias de cuidados intensivos.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou no dia 7, o primeiro óbito por dengue grave no município. I.B., 6 anos, morreu na semana passada. A criança morava no Jaguaré, distrito com alta incidência. O caso está sob apuração da vigilância sanitária.

Veja como prevenir e evitar a dengue:

- Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia;

- Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva;

- Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo;

- Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;

- Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas;

- Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos;

- Lonas, aquários, bacias, brinquedos devem ficar longe da chuva;

- Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos, destinados ao lixo ou “Operação Cata-Bagulho”;

- Cuidados especiais para as plantas que acumulam água, como bromélias e espadas de São Jorge; ponha água só na terra.

Veja os primeiros sintomas:

A presença de dois sinais, combinada com febre alta, é indicação para procurar o serviço médico, principalmente, quem está chegando de viagem de região contaminada. Os sintomas da Dengue Clássica como é chamada, acrescida de dor abdominal contínua, suor intenso e queda de pressão caracterizam a Dengue Hemorrágica.

- Febre alta (acima de 38°C)

- Fraqueza e prostração ou fraqueza

- Dor no corpo e nas juntas

- Dor de cabeça

- Dor no fundo dos olhos (Sem resfriado ou coriza)

Veja e entenda o índice Taxa de Incidência de Dengue*:

0 a 100 casos por 100 mil habitantes - baixa incidência

100 a 300 casos por 100 mil habitantes - média incidência

Acima de 300 casos por 100 mil habitantes - alta incidência

* Dados do Ministério da Saúde

Veja AQUI o informe sobre dengue enviado a todas unidades de saúde da capital

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro