São Paulo, SP, 26/06/2019
 
31/05/2014 - 12h34m

Dicas de fim de semana com muita música, fotografia e exposição

Agência Hoje 
Divulgação
Músico Jards Macalé é um dos destaques no fim de semana de São Paulo
Músico Jards Macalé é um dos destaques no fim de semana de São Paulo

São Paulo (Agência Hoje) - Muitos eventos culturais em locais próximos de estações do Metrô de São Paulo, chamam a atenção, mas os destaques ficam por conta do trabalho do fotógrafo alemão Frank Thiel (Estação Butantã), da retrospectiva do músico Jards Macalé, no Itaú Cultural (Estação Brigadeiro) e da exposição que mostra de todos os ângulos o Brasil na Arte Popular (Estação Belém), entre muitas outras.

Veja as dicas, escolha o evento e vá de metrô:

ESTAÇÃO BRIGADEIRO

A retrospectiva da carreira do músico Jards Macalé explora sua obra, vida particular, influências e relação com a política. Para tanto, são expostos fotos, cartas, revistas, objetos pessoais e trechos das produções do artista. Terça a sexta, das 9h às 20h; sábado, domingo e feriados, a partir das 11h. Grátis. Até 6 de junho. A partir de sábado (31). No Itaú Cultural, que fica na Avenida Paulista, 149, próximo à Estação Brigadeiro. O telefone é (11) 2168-1777.

ESTAÇÃO BUTANTÃ

Ele ficou conhecido por registrar as mudanças ocorridas na cidade de Berlim a partir da queda do muro, em 1989. As lentes do fotógrafo alemão Frank Thiel focaram projetos arquitetônicos, andaimes e gruas, ou, mais singelamente, tintas que descascavam das paredes. Evidências de transformações promovidas pelos humanos.

Há dois anos, Thiel mudou a temática de seu trabalho e desceu até a Patagônia argentina para fazer uma série na qual a protagonista é a natureza, no caso, geleiras de mais de 2 quilômetros de extensão. O resultado pode ser visto na exposição Nowhere Is a Place, em cartaz na Galeria Leme. Debaixo de mau tempo e a bordo de uma pequena embarcação, ele captou as formações glaciais e explorou suas diferentes formas e nuances.

Algumas imagens, de recorte mais fechado, viraram abstrações de volumes azulados. Outras, com objetos menores na composição, permitem observar a dimensão do que está sendo retratado. Todas as dez obras, exibidas em ampliações de até 3 metros de largura, exigem a contemplação paciente do visitante. Segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 17h. Visitação gratuita. Até 21 de junho. A Galeria Leme fica na Avenida Valdemar Ferreira, 130, próxima à Estação Butantã. O telefone é (11) 3093-8184.

ESTAÇÃO BELÉM

Atividades cotidianas, festas típicas e o imaginário brasileiro estão representados em 400 obras vindas de diferentes partes do país. Na exposição O Brasil na Arte Popular, os artistas são, em sua maioria, de zonas periféricas ou rurais que contam através de esculturas de barro, instalações e objetos, a cultura das margens do Rio São Francisco, do Vale do Jequitinhonha, Alto do Moura, em Pernambuco, entre outras regiões. Terça a sábado, das 10h às 21h; domingo e feriados, das 10h às 19h. Grátis. Até 10 de agosto. No Sesc Belenzinho, que fica na Rua Padre Adelino, 1000, próximo à Estação Belém. O telefone é (11) 2076-9700.

ESTAÇÃO TRIANON-MASP

Considerado por críticos como o melhor da América do Sul, o acervo do Masp ganhou uma nova configuração dentro do projeto do curador Teixeira Coelho de periodicamente desenvolver recortes que possibilitem leituras diferentes da coleção. Passagens por Paris reúne 51 trabalhos de artistas relacionados de alguma forma com a capital francesa, considerada o centro mundial da arte na virada do século XIX para o XX.

Vale a pena rever quatro maravilhas do holandês Vincent Van Gogh, raramente reunidas no museu, com destaque para as pinceladas grossas de Passeio ao Crepúsculo e Banco de Pedra no Asilo de Saint-Remy. Ainda há pérolas de Cézanne, Matisse e Vuillard. Terça, quarta, sexta a domingo e feriados, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 20h. R$ 15,00. A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis às terças para todos os visitantes. Nos demais dias, grátis apenas para menores de 10 anos, pessoas com mais de 60 e grupos de estudantes de escolas públicas agendados. O Masp fica na Avenida Paulista, 1578, próximo à Estação Trianon-Masp. O telefone é (11) 3251-5644.

ESTAÇÃO LUZ

O Museu da Língua Portuguesa já fez bonitas homenagens a Jorge Amado e Guimarães Rosa e, mais recentemente, teve como tema a obra do cantor Cazuza. Agora, pela primeira vez, abre suas portas para as artes plásticas. Narrativas Poéticas — Coleção Santander Brasil apresenta 58 trabalhos do acervo do banco, entre pinturas, gravuras e desenhos.

São obras de grandes nomes brasileiros, como Di Cavalcanti, Cícero Dias e Aldo Bonadei, combinadas com 46 fragmentos de poesias que encontram alguma relação com as peças. Os textos ficam espalhados pela sala de diferentes maneiras. Alguns foram impressos em relevo branco e outros estão adesivados nas janelas, com um belo resultado visual. Também são projetados no chão ou vêm de grandes painéis sonoros. Uma série de fotografias de um edifício da cidade, feita por Cássio Vasconcellos, por exemplo, está acompanhada por frases de Mário de Andrade.

O quadro Cabeças, de Siron Franco, por sua vez, "dialoga" com versos de João Cabral de Melo Neto e de Castro Alves e Série Amazônica Nº 12, de Ivan Serpa, se completa com um poema de Francisco Alvim. Terça a domingo, das 10h às 18h. R$ 6,00. A bilheteria fecha às 17h. Grátis aos sábados. Até 20 de julho. O Museu da Língua Portuguesa fica na Praça da Luz, s/nº, próximo à Estação Luz. O telefone é 3322-0080.

ESTAÇÃO SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DE FÁTIMA-SUMARÉ

O bailarino Marcos Sobrinho explora no solo Um Poema para Carmen o universo da cantora e atriz Carmen Miranda. A peça questiona a liberdade de criação do artista (45 min). 14 anos. Sexta (30) e sábado (31), às 21h; domingo (1º), às 20h. R$ 5,00. A bilheteria abre uma hora antes. No Viga Espaço Cênico – Sala Piscina (30 lugares), que fica na Rua Capote Valente, 1323, próximo à Estação Santuário Nossa Senhora de Fátima-Sumaré. O telefone é (11) 3801-0075.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro