São Paulo, SP, 24/06/2019
 
17/04/2014 - 10h50m

Dicas de fim de semana mostra as alternativas no feriadão paulista

Agência Hoje 
Divulgação
Peça teatral apresentada pela Cia. Truks conta a vida de operários e agrada muito a criançada
Peça teatral apresentada pela Cia. Truks conta a vida de operários e agrada muito a criançada

São Paulo (Agência Hoje) - Com a cidade quase vazia por conta do feriadão da Semana Santa e da Páscoa, as dicas para quem gosta de usar o metrô nos deslocamentos e prefere frequentar locais próximos às estações, há muitas alternativas interessantes.

Veja as dicas para este final de semana:

ESTAÇÃO FARIA LIMA

A criançada via se divertir com o espetáculo Construtório. A hora mais esperada por muitos trabalhadores é o fim do expediente. Numa obra, três operários (Gabriel Sitchin, Rafael Senatore e Rogério Uchoas) respiram aliviados por poder ir para casa, mas um dilúvio cai assim que eles põem o pé na rua. Impedido de enfrentá-lo, o trio solta a imaginação e faz o tempo passar com brincadeiras e histórias que levam os pequenos às gargalhadas.

Na mesma pegada de Sonhatório, de 2012, a Cia. Truks, há mais de vinte anos conhecida pelas manipulações de bonecos e objetos, transforma itens de construção em personagens. O alicate, por exemplo, vira papagaio de pirata e as lixeiras tornam-se barcos. Um cone e um cano originam uma perigosa abelha, e de três pregadores nascem os peixinhos da animação Procurando Nemo.

Em um dos pontos altos, as crianças tentam adivinhar o que os três estão criando com material de banheiro. Tubos, conexões e até assentos sanitários dão vida a astronautas, elefantes e borboletas.

Com texto e direção de Henrique Sitchin, a peça incentiva a fantasia até o último minuto, quando a garotada é chamada a continuar a brincadeira em casa (50 min). Domingo, às 15h e 17h. R$ 10,00. Até 1º de maio. No Auditório do Sesc Pinheiros (99 lugares), que fica na Rua Paes Leme, 195, próximo à Estação Faria Lima. O telefone é (11) 3095-9400.

ESTAÇÃO BRIGADEIRO

Parte da programação da exposição Ocupação Zuzu, a palestra com o estilista Ronaldo Fraga aborda assuntos como moda, criação e política. A mediação é da consultora e jornalista Cristiane Mesquita. Sábado (19), às 17h. Grátis. Ingressos distribuídos meia hora antes. No Itaú Cultural (50 lugares), que fica na Avenida Paulista, 149, próximo à Estação Brigadeiro. O telefone é (11) 2168-1776.

ESTAÇÃO TRIANON-MASP

Considerado por críticos como o melhor da América do Sul, o acervo do Masp ganhou uma nova configuração dentro do projeto do curador Teixeira Coelho de periodicamente desenvolver recortes que possibilitem leituras diferentes da coleção. Passagens por Paris reúne 51 trabalhos de artistas relacionados de alguma forma com a capital francesa, considerada o centro mundial da arte na virada do século XIX para o XX.

Vale a pena rever quatro maravilhas do holandês Vincent Van Gogh, raramente reunidas no museu, com destaque para as pinceladas grossas de Passeio ao Crepúsculo e Banco de Pedra no Asilo de Saint-Remy. Ainda há pérolas de Cézanne, Matisse e Vuillard. Terça, quarta, sexta a domingo e feriados, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 20h. R$ 15,00.

A bilheteria fecha uma hora antes. Grátis às terças para todos os visitantes. Nos demais dias, grátis apenas para menores de 10 anos, pessoas com mais de 60 e grupos de estudantes de escolas públicas agendados. O Masp fica na Avenida Paulista, 1578, próximo à Estação Trianon-Masp. O telefone é (11) 3251-5644.

ESTAÇÃO SÉ

Com direção de Celina Sodré, o monólogo dramático Farnese da Saudade, escrito e protagonizado por Vandré Silveira, contempla a vida e a obra de Farnese de Andrade (1926-1996). Pintor, ilustrador, escultor e gravador, o mineiro notabilizou-se a partir dos anos 70, quando passou a criar trabalhos usando armários, oratórios, gamelas e bonecos (45 min). 16 anos. Quinta a domingo, às 19h15. Grátis. Ingressos distribuídos uma hora antes. Até 27 de abril. Na Caixa Cultural (60 lugares), que fica na Praça da Sé, 111, próxima à Estação Sé. O telefone é (11) 3321-4400.

ESTAÇÃO REPÚBLICA

Oito bailarinos homens vestidos com terno e gravata ocupam a Sala Paissandu e os corredores da Galeria Olido na performance Corpos de Passagem. Os integrantes do grupo "Grua – Gentlemen de Rua" improvisam a partir de passos da dança contemporânea (60 min). Livre. Quinta (17) a sábado (19), às 20h; domingo (20), às 19h. Grátis. Ingressos distribuídos uma hora antes. A Galeria Olido – Sala Paissandu (35 lugares) fica na Avenida São João, 473, próxima à Estação República. O telefone é (11) 3331-8399.

ESTAÇÃO ANHANGABAÚ

A reforma do prédio que hoje abriga o Centro Cultural Banco do Brasil, em 2001, foi um dos grandes ganhos da região central. De lá para cá, ele recebeu exposições importantes, além de outras atrações bacanas, e movimentou aquele pedaço. Esse símbolo da cidade vai comemorar seus 13 anos com o espetáculo Invasão Baiana, com apresentações gratuitas no Vale do Anhangabaú.

Como indica o nome, o evento traz representantes da robusta cena musical da Bahia, entre gente nova e consagrada. O coletivo influenciado pela música jamaicana Dubstereo e a banda Maglore ficam encarregados de abrir o palco no domingo (20/4). Na sequência virão os roqueiros do Vivendo do Ócio, formado por Luca Bori (baixo), Dieguito Reis (bateria), Jajá Cardoso (voz e guitarra) e Davide Bori (guitarra).

Eles mostram Eu Gastei e Nostalgia. Tom Zé encerra a festança com faixas do disco Todos os Olhos (1973). Os shows seguem no feriado do dia 21 de abril de 2014, quando se exibe a ótima Orkestra Rumpilezz, grupo de percussão e sopros regido pelo maestro Letieres Leite. Depois, é a vez da cantora Marcia Castro, que interpreta canções autorais e de compositores como Cartola. Encerra a celebração a banda BaianaSystem junto do guitarrista Pepeu Gomes.

Domingo (20) e segunda (21, feriado), a partir das 16h. Grátis. O Vale do Anhangabaú fica próximo à Estação Anhangabaú. Informações pelo telefone (11) 3113-3651.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro