São Paulo, SP, 10/12/2018
 
22/10/2014 - 11h35m

Dilma Rousseff recebe apoio de movimentos sociais do Semiárido

Agência Brasil/Luana Lourenço  
Reprodução
Dilma fez campanha em Petrolina onde recebeu apoio de movimentos sociais e organizações do Semiárido
Dilma fez campanha em Petrolina onde recebeu apoio de movimentos sociais e organizações do Semiárido

Brasília - A candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, participou na última terça-feira (21) de um ato de campanha em Petrolina, no interior de Pernambuco, onde recebeu apoio de movimentos sociais e organizações do Semiárido.

No encontro, Dilma destacou as políticas adotadas pelo governo no Nordeste, entre elas a construção de cisternas, que, segundo ela, prepararam a região para a seca.

“Estamos preparados para a seca. O estado mais rico do Brasil, São Paulo, não se preparou para a seca. Vocês, do Nordeste, se prepararam e hoje, diante da maior seca, temos condições de viver aqui”, disse a candidata. “Tenho orgulho do 1 milhão de cisternas que construímos aqui – é uma realidade, uma realização. Sei que vocês sempre tiveram garra, sempre lutaram, defenderem uma vida melhor para suas famílias. O que não havia no Brasil era oportunidade”, acrescentou.

Dilma falou também sobre o impacto de programas sociais como o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) na melhoria de indicadores da Região Nordeste, principalmente no Semiárido.

“Diante da urna, vamos fazer mais uma vez um manifesto pelo Semiárido, por todas as conquistas que já tivemos e por todas as que vamos conquistar nos próximos quatro anos”, pediu.

Dilma criticou as políticas para o Nordeste dos governos do PSDB e disse que o partido de seu adversário, Aécio Neves, não reconhece as transformações sociais e econômicas que a região teve nos últimos anos, sob gestões do PT.

“Não reconhecemos nos tucanos alguém que fez uma política a favor de nenhum estado brasileiro, muito menos no Nordeste. Eles têm uma visão ultrapassada do Brasil, não sabem que o Brasil e essa região do Brasil estão mudando pelo braço, pela garra, pelo esforço de seu próprio povo, que teve oportunidades. Tenho muito orgulho da parceria que fizemos com todos os movimentos sociais que estão aqui representados”, afirmou.

De Petrolina, Dilma seguiu para Goiana, também em Pernambuco, onde visitou as instalações da fábrica da Fiat e concedeu entrevista a jornalistas. Ela voltou a dizer que seus adversários, que se interessam pela redução do papel dos bancos públicos, têm uma “visão estreita da realidade no Brasil, ou querem beneficiar segmentos privados”.

A candidata enumerou obras feitas em parceria pelos governos federal e de Pernambuco, e disse que sempre respeitou as administrações estaduais, ainda que comandadas pela oposição.

Dilma Rousseff citou o Arco Rodoviário do Recife como obra que será construída com recursos federais, já que, segundo ela, não seria possível uma parceria público-privada (PPP) nesse caso.

“Não financiamos pedágio de forma alguma em regiões metropolitanas, porque ele impede as pessoas de circularem livremente e cria um ônus desnecessário”, afirmou. A candidata negou que tenha havido a governos de partidos não aliados e ressaltou que, dessa forma “republicana”, pretende continuar fazendo parcerias com o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara, do PSB.

Ainda em Goiana, antes de seguir para uma caminhada no Recife, Dilma esteve em um ato público, onde pediu aos pernambucanos para ir às ruas, apresentar argumentos e “combater com a verdade as mentiras" que os adversários propagaram sobre seu governo.

*Colaborou Paulo Victor Chagas

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro