São Paulo, SP, 23/09/2019
 
23/06/2013 - 18h25m

Disney/Pixar traz de volta seus monstros mais queridos

Agência Hoje/Lucas Rigaud 
Divulgação
Os monstros estão de volta
Os monstros estão de volta

Universidade Monstros é um filme que provou novamente que os estúdios da Disney/Pixar sabem fazer continuações quando estas são feitas para o público e com menos interesses comerciais, ao contrário de Carros 2 (2011) que foi praticamente uma longa-metragem de propaganda.

Após o sucesso de público e crítica Toy Story 3 (2010), que encheu os olhos de lágrimas de crianças e principalmente adultos, a Pixar passou por um pequeno momento de crise criativa que resultou em animações pouco equivalentes à qualidade da casa: a continuação de Carros, como já fora mencionada, e Valente (2012) que conta com uma técnica impecável, porém de história sem grandes novidades e uma trama mais Disney do que Pixar. No caso de Valente, fica clara uma grande intervenção do estúdio dominante (a Disney) no roteiro impedindo um melhor desenvolvimento do filme, transformando algo que poderia dar muito certo em clichê.

Uma continuação de Monstros S.A, animação considerada uma das mais cativantes da Disney/Pixar tanto pela criatividade quanto a trama inteligente e emotiva, seria uma excelente ideia devido ao criativo universo dos monstros que podia ser muito bem explorado com mais detalhes, aos personagens e inúmeras outras coisas. Porém, ninguém tinha muita confiança de que o filme teria uma originalidade diferente do original. Quando fora anunciado que a sequência de Monstros S.A. seria um prelúdio, houve um momento em que críticos e o público ficaram confusos sobre; mas ser divulgada a primeira sinopse do filme, a produção deixou clara como seria o novo longa-metragem. Tal fato gerou tanto satisfações entre fãs quanto descontentamento e dúvida. Seria realmente possível uma animação da Pixar, além das sequências de Toy Story, superar seu antecessor que por si só já é um clássico?

Como também me perguntei bastante sobre isso, fui conferir a animação no cinema para ter uma resposta. Consegui uma tão satisfatória que nem mesmo imaginei que seria assim. Não nego que saí da sessão feliz com o resultado. Agora vejo que nada poderia dar errado numa trama onde os dois personagens mais queridos do primeiro filme se conhecem na faculdade e lá passam por diversos conflitos e desafios que os faria aprender importantes lições à lá Pixar que serve para qualquer tipo de público.

Em Universidade Monstros, dirigido por Dan Scalon (Pete Docter, diretor do primeiro filme, assumiu a produção executiva ao lado de John Lasseter), Mike Wazowsky (dublado originalmente por Billy Crystal), ao visitar a empresa Monstros S.A. durante um passeio da escola, fica encantado com o emprego de assustador e passa a desejar aquilo mais que tudo na vida. Quando cresceu, Mike foi estudar na Universidade Monstros e lá conheceu Sulley (John Goodman), um calouro metido a besta por ser herdeiro de uma família famosa de monstros assustadores. A princípio, os dois se odiavam, mas quando foram obrigados a fazer parte de uma mesma equipe dos jogos de susto da Universidade, após um incidente com a tenebrosa diretora (Helen Mirren). A equipe, porém, era composta pelos “excluídos” da instituição que, com o tempo, conseguem provar que possuem uma grande habilidade especial, mostrado no filme com o melhor jeito Pixar emotivo, sem apelações sentimentais. Portanto, o prelúdio de Monstros S.A. consegue ter uma originalidade tão interessante e criativa quanto seu original, graças a sua história, desenvolvimento e uma melhor exploração do mundo dos monstros; assim como os breves e divertidos detalhes que deram origem a alguns acontecimentos do primeiro filme. E, claro, não podemos esquecer os novos personagens, divididos em grupos de líderes, populares, góticos e perdedores que divertem o público e com certeza serão adorados pelas crianças e pelos fãs do primeiro filme.

Se no ano de 2001 já era incrível a técnica usada para fazer os pelos do monstrão Sulley, agora o personagem parece simplesmente real. Não só os pelos mas cada detalhe dos corpos dos monstros, escamas, pele, chifres, são muito bem trabalhados, provando que a Pixar, além de ser boa com roteiros, é o melhor estúdio que utiliza uma técnica de animação de qualidade. Como todos os filmes de animação atuais, Universidade Monstros foi feito em 3D. Não tive a oportunidade de assistir o filme em terceira dimensão, mas garanto que a experiência deve ser interessante, principalmente nos momentos com mais ação. Coloridos e cenários deslumbrantes completam os maravilhosos efeitos desenvolvidos pelo estúdio presentes no filme. Antes do longa começar, os cinema exibirão o novo curta-metragem da Disney/Pixar chamado O Guarda-Chuva Azul, um belo e interessante filme que utiliza de uma técnica de computação gráfica extremamente realista.

Universidade Monstros é uma sequência exatamente no nível de seu antecessor. Divertido, cativante, criativo e inteligente. A Pixar havia nos assustado com animações não tão boas por dois anos seguidos, mas agora o estúdio nos surpreendeu com um provável monstruoso futuro clássico. Não duvido que as salas de cinema ficarão lotadas apenas por crianças, mas por jovens e adultos que cresceram assistindo a primeira animação lançada em 2001. Entre tantas mensagens que estão presentes na nova animação, talvez a que mais me chamou atenção foi que não é realmente preciso cursar uma Universidade para saber o que você é ou o que poder ser, quando a capacidade de tornar-se o que deseja já está dentro da pessoa.

Universidade Monstros (Monsters University)

Direção: Dan Scalon

Produção: Kori Era

Roteiro: Robert L. Baird, Daniel Gerson, Dan Scanlon

Trilha Sonora: Randy Newman

Elenco: Billy Crystal, John Goodman, Steve Buscemi, Helen Mirren, Peter Sohn, Joel Murray, Sean Hayes, Dave Foley, Charlie Day, Alfred Molina, entre outros.

Nota: 9,0

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro