São Paulo, SP, 16/09/2019
 
27/05/2016 - 09h36m

Em visita histórica a Hiroshima, Obama lamenta mortes, mas não pede desculpas

Agência Brasil/José Romildo 

Estados Unidos - O presidente Barack Obama fez nesta sexta-feira (27) visita histórica a Hiroshima, cidade japonesa destruída por uma bomba nuclear americana em 1945. Ele colocou uma coroa de flores no memorial de paz da cidade e lamentou o sofrimento de pessoas inocentes em razão do bombardeio atômico na cidade. Como Obama já havia antecipado, a visita não foi acompanhada por um pedido formal de desculpas dos Estados Unidos pelo lançamento da bomba nuclear. No entanto, o presidente norte-americano disse que não se deve “repetir os erros do passado".

Ao lado do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, Obama fez uma alusão às milhares de pessoas mortas em razão do explosão da bomba nuclear. "Palavras não podem dar voz a tanto sofrimento", disse. "A memória da manhã do dia 6 de agosto de 1945 não deve nunca desaparecer", acrescentou ele, ao se referir à data da tragédia.

Obama disse que os governos devem fazer esforços para reduzir o perigo de armas nucleares. "A revolução científica que levou à divisão de um átomo requer uma revolução moral também."

O primeiro-ministro japonês também discursou no Memorial da Paz de Hiroshima para uma plateia que incluía vítimas do bombardeio atômico. "Gostaria de expressar meus respeitos ao presidente Obama por sua determinação e coragem", disse Shinzo Abe. Antes mesmo da chegada dos dois líderes, milhares de pessoas já estavam reunidas no local, aguardando a visita.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro