São Paulo, SP, 15/10/2019
 
01/04/2015 - 16h13m

Entidades pedem que Gilmar Mendes apresse análise de financiamentos de campanhas

Agência Brasil/Andreia Verdélio 

Brasília - Cerca de 40 pessoas protestaram nessa quarta-feira (1º), na Praça dos Três Poderes, contra a demora no julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4650, que estabelece normas para as eleições, entre elas o financiamento de campanhas. O alvo era o ministro do STF, Gilmar Mendes, que em 2 de abril de 2014 pediu vista do processo e ainda não fez a devolução para o julgamento.

Segundo o diretor da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Ismael César, o objetivo do ato é exigir que Gilmar Mendes faça a devolução para que o Supremo dê continuidade à votação. “Amanhã completa um ano que o ministro pediu vista do processo que trata de financiamento de empresas a partidos políticos, e esse ato é um esculacho exigindo que o Gilmar Mendes devolva esse processo, haja vista que temos 6 votos a 1 favoráveis à aprovação, contra o financiamento privado”, disse.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do ministro, pois não há expediente hoje no STF, em virtude do feriado da Semana Santa.

Para Ismael César, o modelo atual de financiamento de campanhas políticas favorece a corrupção. "As empresas, na realidade, fazem um empréstimo aos parlamentares e depois esse recurso é devolvido através do processo de corrupção, portanto combater a corrupção significa garantir que o financiamento seja público e não empresarial”, disse.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro