São Paulo, SP, 22/10/2019
 
13/01/2016 - 12h00m

Especialista alerta para consumo em excesso da farinha de trigo

Portal EBC 
Agência Brasil/Arquivo
Farinha de trigo conhecida na atualidade tem muito amido e glúten que é uma proteína inflamatória
Farinha de trigo conhecida na atualidade tem muito amido e glúten que é uma proteína inflamatória

Brasília - O médico Patrick Rocha, que é especialista no tratamento de Diabetes, pesquisador da área de Nutrição e presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas, explica sobre o consumo excessivo de trigo e as causas para a saúde.

Segundo o médico, o trigo de hoje é muito diferente ao de nossos avós, de 30 a 40 anos atrás, que tinha pouquíssimo glúten e pouco açúcar ou amido. “O atual é muito maléfico para a saúde, porque tem muito glúten, proteína inflamatória, e contém muito açúcar, mas infelizmente pouca gente sabe disto, inclusive os nutricionistas e médicos”, afirma.

De acordo com Patrick Rocha, um estudo da Universidade de Havard, nos Estados Unidos, aponta que a atual farinha de trigo é tão viciante como algumas drogas como a cocaína, porque ativa centros do cérebro de prazer que aumentam a serotonina e a dopamina.

Para o médico, o consumo do trigo na sua composição atual está gerando uma epidemia de doenças, porque ele tem mais açúcar do que o açúcar puro. “Para se ter uma ideia, duas fatia de pão integral contém mais açúcar do que duas colheres de sopa de açúcar puro”, ressalta.

A redução do trigo já traz vários benefícios para a saúde e por isto ele costuma orientar seus pacientes, tanto de emagrecimento quanto de diabetes, para deixarem o trigo, explica Patrick Rocha.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro