São Paulo, SP, 18/06/2018
 
23/05/2016 - 15h51m

Especialista dá dicas para abrir franquia do setor de alimentação

Agência Hoje 
Agência Brasil/Arquivo
Franchising brasileiro registrou uma expansão de cerca de 10% em 2015
Franchising brasileiro registrou uma expansão de cerca de 10% em 2015

São Paulo – O ano de 2015 foi marcado por uma forte retração econômica, porém, ainda sim o franchising brasileiro registrou uma expansão de cerca de 10% em relação a 2014, apontam dados da Associação Brasileira de Franchising, a ABF.

Neste cenário, o setor de alimentação permaneceu em destaque. O faturamento deste seguimento chegou a 25,6 bilhões, representando crescimento de 6,8%.

O h3, especializado em hambúrgueres, é um exemplo de rede de franquias que enfrentou adversidades e conquistou bons resultados em um momento de crise.

“A marca encerrou 2015 com um aumento de 20% em número de unidades, alcançando 17 operações, e um faturamento de R$ 27 milhões de reais”, conta Claudia Malaguerra, country manager da rede no Brasil.

Para a executiva, as possibilidades são vastas e as oportunidades bastante promissoras para quem pretende abrir o seu próprio negócio neste ano.

Veja os 4 principais motivos para investir no setor de alimentação:

1. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, o brasileiro gasta cerca de 25% de sua renda com alimentação fora do lar. Porém, o mercado está cada vez mais acirrado, portanto deve-se apostar em produtos de qualidade, excelência no atendimento e preço justo.

2. O setor de alimentação é um mercado inovador, seja no atendimento, no serviço e até mesmo no menu. “Novidades atraem o consumidor, que quer variar o cardápio e estar sempre alinhado às tendências”, afirma Claudia.

3. A performance histórica do segmento é bastante positiva. “Não que não sofra com a crise, mas o setor de alimentação se adapta às condições de mercado, afinal, alimentação é um item de primeira necessidade”, explica;

4. A maioria redes de franquias de alimentação têm baixos níveis de estoque de mercadoria. “A complexidade de um cardápio impacta diretamente na necessidade de ter mais dinheiro empatado em estoque de mercadoria. A falta de capital de giro leva muitos empreendimentos à falência. Hoje quem não tem um conceito ancorado nas premissas de boa administração vai sofrer mais”. finaliza Claudia.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro