São Paulo, SP, 10/12/2018
 
10/04/2017 - 14h20m

Ex-marido de Marta Suplicy é citado como intermediário de propina da Odebrecht

Agência Brasil/Alex Rodrigues 

Lima - Preso na semana passada no aeroporto internacional de Lima, no Peru, por envolvimento em um caso de corrupção envolvendo a Odebrecht e autoridades peruanas, o empresário israelense Gil Shavit declarou à Justiça que o governador de Callao, Félix Moreno, incumbiu o publicitário franco-argentino Luis Favre (ex-assessor do Partido dos Trabalhadores – PT e ex-marido da senadora Marta Suplicy), da tarefa de receber US$ 4 milhões da construtora Odebrecht.

Segundo a imprensa peruana, em depoimento ao Ministério Público Fiscal peruano, Gil Shavit declarou ter participado de uma reunião em que Moreno estipulou o preço para favorecer a Odebrecht em uma concorrência, recomendando ao representante da construtora - identificado como “funcionário número 5” - que o dinheiro da propina fosse entregue a Favre.

Em nota, o Ministério Público Fiscal não cita o nome de Luis Favre, mas explica que documentos apreendidos em imóveis de Shavit e de Moreno e depoimentos de outros dois colaboradores da Justiça reforçam as suspeitas de que o governador de Callao cobrou propina da Odebrecht para escolher a empresa para construir uma rodovia próxima a Lima, a Costa Verde del Callao.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro