São Paulo, SP, 20/06/2019
 
25/07/2014 - 12h40m

Festival de Inverno de Campos do Jordão está em sua fase final

Agência Hoje/Isabela Guiaro 
Reprodução
O encerramento do festival acontece no dia 03/08 com a Osesp, sob a regência de Giancarlo Guerrero
O encerramento do festival acontece no dia 03/08 com a Osesp, sob a regência de Giancarlo Guerrero

São Paulo - O tradicional Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão acontece anualmente no mês de julho e é considerado o mais importante festival de música clássica da América Latina. Esse ano, a abertura da 45ª edição aconteceu no dia 5 de julho com a execução da Nona Sinfonia de Beethoven pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, os Coros da Osesp e Acadêmico da Osesp, o barítono Paulo Szot e solistas convidados, sob a regência de Marin Alsop.

A programação dessa edição tem 27 concertos das mais importantes orquestras e bandas sinfônicas do Brasil, como a Osesp, a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Filarmônica de Minas Gerais, a Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, a Orquestra do Theatro São Pedro e a Orquestra Petrobras Sinfônica. Além disso, o Festival apresentará ainda dois ciclos dedicados a compositores que têm seus nascimentos celebrados em 2014: Guerra-Peixe 100 e Richard Strauss 150.

Entre os artistas de destaque mundial convidados estão a compositora inglesa Anna Clyne, residente da Sinfônica de Chicago; o nova-iorquino Escher String Quartet, como grupo residente do Festival; os pianistas brasileiros Arnaldo Cohen, Jean Louis Steuerman e Cristian Budu, vencedor do prestigioso Concurso Internacional de Piano Clara Haskil, na Suíça; o pianista russo Kirill Gerstein; o trompista alemão Stefan Dohr (1ª trompa da Filarmônica de Berlim); e o violinista Spalla da Osesp Emmanuele Baldini (como professor, solista e regente).

O encerramento acontece no dia 03/08, também com a Osesp, sob a regência de Giancarlo Guerrero, tendo como solista convidado o violonista Manuel Barrueco. O concerto acontece no Auditório Cláudio Santoro, em Campos do Jordão.

História

Idealizado em 1970 por Luis Arrobas Martins, secretário estadual da fazenda, e pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e João de Sousa Lima, foi inspirado no Festival de Tanglewood (EUA), que consiste de uma série de concertos de música sinfônica, de câmara, coral, teatral, contemporânea, jazz e pop e é dirigida pela Orquestra Sinfônica de Boston.

O objetivo não é apenas apresentar concertos de música erudita, mas também dar cursos integrais de formação musical, focados na prática orquestral, piano, violão, canto, regência, música de câmara e composição a jovens instrumentistas promissores no campo da música com professores renomados.

A partir de 1995 o Festival passou a receber nomes internacionais conhecidos dentro da música clássica, como o tenor Roberto Alagna, Aprile Millo, a pianista Maria João Pires, o trompetista Daniel Havens, a cantora Kiri Te Kanawa e o maestro Kurt Masur. Já em 2012, a Fundação Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) passou a assumir a direção.

Além da Osesp, estão ligadas outras instituições brasileiras como Tom Jobim – EMESP, USP, UFMG, UFRN, UFRJ e UniRio, além das internacionais como Conservatório de Paris, Escola Superior de Música de Colônia, Filarmônica de Viena, Filarmônica de Berlim, Conservatório Real de Amsterdã, Royal College of Music de Haia e Universidade de Massachussets.

Grandes nomes da música erudita já passaram pelos palcos de Campos do Jordão, como os compositores Marlos Nobre, Almeida Prado, Edino Krieger, João Guilherme Ripper, Jocy de Oliveira; os pianistas Magdalena Tagliaferro, Nelson Freire, Jean-Louis Steuerman, Linda Bustani; os violoncelistas Mstislav Rostropovich e Antônio Meneses; os violonistas Turíbio Santos e Yamandu Costa; os cantores Dame Kiri Te Kanawa, Fernando Portari, Gun-Brit Barkmin, Celine Imbert; os flautistas Pierre-Yves Artaud, Davide Formisano; o regente Kurt Masur; os violinistas Glenn Dicterow, Nathan Schwartzman, Boris Belkin, Cláudio Cruz; o Trio Beaux-Arts; o Quinteto de Metais da Filarmônica de Nova York; e o Quinteto de Sopros da Filarmônica de Berlim.

Ao final do Festival, são dados prêmios como o Eleazar de Carvalho para o melhor bolsista, o Ayrton Pinto condecorará os quatro bolsistas de maior destaque por grupos de instrumentos, e o Concurso Camargo Guarnieri para o bolsista de maior destaque no curso de composição.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro