São Paulo, SP, 24/06/2019
 
04/10/2014 - 12h02m

Há 44 anos, a rainha do rock Janis Joplin entrou no clube dos 27

Agência Hoje 
Divulgação
Janis Joplin morreu precocemente aos 27 anos, mas tem seguidores até hoje
Janis Joplin morreu precocemente aos 27 anos, mas tem seguidores até hoje

São Paulo (Agência Hoje/Isabela Guiaro) - Janis Joplin é considerada a Rainha do Rock n’ Roll por ter sido a mulher de maior destaque do rock mundial, começando nos anos 60 como vocalista da banda Big Brother and the Holding Company e, mais tarde, do grupo Kozmic Blues Band, que a acompanhou como uma das principais atrações do festival Woodstock, em 1969.

Morreu aos 27 anos, assim como seu colega Jimi Hendrix, além de outros cantores influentes da música mundial, como Brian Jones, fundador do Rolling Stones, Jim Morrison, vocalista do The Doors, Kurt Cobain, do Nirvana, e Amy Winehouse.

Vida e obra

Nascida em Port Arthur, no Texas, Estados Unidos, Janis cresceu ouvindo Bessie Smith, Leadbelly e Big Mama Thornton, músicos de blues, além de cantar no coro da cidade. Em 1960 terminou seus estudos e foi para a Universidade do Texas, em Austin.

Lá, começou a cantar blues e folk com seus colegas e acabou se mudando para São Francisco, onde aceitou trabalhar como cantora. O vício em drogas como heroína, por exemplo, e o consumo abusivo de álcool começou a atrapalhar sua carreira e a prejudicar sua saúde.

Por conta disso, retornou a Part Arthur para se tratar e, em 1966, foi para São Francisco, onde conhece o grupo Big Brother & The Holding Company, com quem lançou um álbum em 1967. Ainda que a banda tivesse certa notoriedade na comunidade hippie que nascia na época, as vendas foram muito baixas, fazendo com que o disco saísse das lojas.

Big Brother acabou chegando ao auge com seu segundo álbum, “Cheap Thrills”, lançado em 1968, após sua aparição no Festival Pop de Monterey. O disco é o de maior sucesso de Janis e conta com a música “Piece of my heart”, que atingiu o 1º lugar nas paradas da Billboard, tornando-a conhecida.

No final de 1968, a cantora deixa o grupo e forma um novo, Kozmic Blues Band, gravando o álbum “I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!” em 1969, ano que aconteceu o famoso festival de Woodstock, onde Janis e sua banda tocam como uma das principais atrações.

Embora o álbum não tenha repetido o sucesso de “Cheap Thrills”, ele ganhou um certificado de ouro. Mesmo assim, Joplin sai da banda e forma uma nova chamada Full Tilt Boogie Band.

Na tentativa de se livrar novamente do vício em heroína, Janis veio ao Brasil em fevereiro de 1970 para se tratar. Ela, porém, causou polêmicas por fazer topless em Copacabana, nadar nua na piscina do Hotel Copacabana Palace, beber muito, cantar em bordeis, além de ser presa.

Em 3 de outubro do mesmo ano, Janis visita o estúdio Sunset Sound Recorders, em Los Angeles para ouvir um instrumental de Nick Gravenite e voltaria no outro dia para gravar os vocais. Como não compareceu, um membro da banda foi ao hotel a sua procura e a encontrou morta por overdose de heroína, combinada com álcool.

Janis morreu precocemente, aos 27 anos, e foi cremada no cemitério-parque memorial de Westwood Village, em Westwood, na Califórnia. Suas cinzas foram jogadas no Oceano Pacífico durante a cerimônia.

A Full Tilt Boogie Band lançou o álbum “Pearl” três meses após a sua morte, em janeiro de 1971. Além de ser considerado como o melhor disco da cantora, ele ainda conta com um de seus grandes sucessos, “Cry Baby”.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro