São Paulo, SP, 15/06/2019
 
11/07/2012 - 17h21m

Haddad é questionado sobre aliança com Maluf e falhas do Enem quando era ministro

Folhapress/Diógenes Campanha 

SÃO PAULO, SP (Folhapress) - O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, ouviu hoje questionamentos de eleitores sobre a aliança com o deputado Paulo Maluf (PP) e sobre as falhas ocorridas no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) enquanto foi ministro da Educação.

Ele fez caminhada nas proximidades do largo 13 de maio, em Santo Amaro (zona sul da capital), região com grande presença de comércio popular.

Depois de tomar café com leite em uma padaria, ele foi abordado na porta por um homem que perguntou como reagirá se, durante a campanha, for confrontado sobre o Enem: "Vai dizer que foi alguém que fez?". O homem quis saber se "tem alguém por trás disso aí", sugerindo sabotagem.

"Ah, não. Eu não quero fazer esse tipo de especulação. Ele já está punido. Pegou cinco anos de cadeia", disse o candidato.

Exemplares da prova do Enem foram roubados às vésperas do exame de 2009. Felipe Pradella, apontado pela Polícia Federal como mentor do vazamento, foi condenado em 2011 a cinco anos e três meses de reclusão pelos crimes de violação de sigilo funcional e corrupção passiva. Ele era funcionário do consórcio responsável por imprimir o exame.

Outros problemas envolvendo o Enem foram a impressão errada de provas e cartões de resposta, em 2010, e o acesso antecipado de alunos de um colégio de Fortaleza a 14 questões do exame, em 2011.

Enquanto a assessoria de Haddad tentava afastar o candidato, dizendo que ele iria dar entrevista para a imprensa, o homem insistiu e perguntou se "houve incompetência por parte de seu ministério" e se ele está pronto a rebater acusações sobre o tema.

O petista, sem mencionar o nome de Pradella, disse que o funcionário não era servidor do ministério e voltou a citar a sentença: "Tá condenado, cara! É tão difícil você condenar alguém nesse país. Esse foi condenado, pô!".

Antes de ir embora, o homem deu parabéns a Haddad e lhe desejou sucesso.

Logo no início da caminhada, ao entrar em uma loja, o petista ouviu do massoterapeuta Marcelo Silva, 43, que havia perdido seu voto por causa da aliança com o PP.

"O Maluf está envolvido em muita coisa. Sai fora desse cara! Ele não pode nem sair do país", reclamou o eleitor.

Haddad desconversou, seguiu para a loja ao lado e comentou que há "ideia fixa na pessoa", referindo-se a Maluf.

Na entrevista coletiva após o corpo a corpo, não citou o nome do deputado e disse que a reclamação não representa todo o eleitorado.

"Com quantas pessoas eu falei, umas 200? Seguramente mais de cem. Você vai encontrar todo tipo de opinião e muita desinformação também. Tem gente que não sabe que o PP está na base do governo desde 2004", declarou.

O petista afirmou que a imprensa tenta "forçar um debate" sobre a aliança com o PP.

"O que importa é que temos uma base aliada no governo Dilma que está sendo trazida para São Paulo. Todo mundo é capaz de entender isso. Só vocês [jornalistas] que pedem essa explicação, sinceramente."

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro