São Paulo, SP, 29/02/2020
 
25/02/2012 - 16h20m

Hepatite C mata mais nos Estados Unidos que o HIV

Agence France Presse 
AFP / Francois Nascimbeni
Mais de 15.000 pessoas morreram por infecção de hepatite C em 2007
Mais de 15.000 pessoas morreram por infecção de hepatite C em 2007

WASHINGTON (AFP) - Mais americanos morreram em 2007 por infecção de hepatite C que devido à Aids, disseram autoridades sanitárias norte-americanas com base em um estudo divulgado nesta semana.

Mais de 15.000 pessoas morreram por infecção de hepatite C em 2007, comparando-se às 12.734 que morreram devido à Aids, doença provocada pelo vírus HIV, segundo dados dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, publicados nos Anais da Medicina Interna.

Antes de 2007, o vírus do HIV causava mais mortes que a hepatite C, que em média não causa sintomas e pode ser transmitida entre usuários de drogas injetáveis ou através de relações sexuais sem proteção com pessoas infectadas.

Cerca de 1,5% da população americana tem hepatite C, o que a torna uma das causas mais comuns de doenças crônicas do fígado no país, segundo a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos.

A doença pode provocar cirrose de fígado e câncer de fígado.

Os tratamentos para eliminar o vírus do sangue incluem injeções semanais de interferon alfa pegilado e tomar duas vezes ao dia uma cápsula chamada Ribavirina.

No entanto, não existe uma vacina para a hepatite C.

Os pesquisadores afirmaram que a mudança nos índices de mortalidade se devem amplamente ao sucesso dos tratamentos do HIV.

"A diminuição de mortes por infecção de HIV nas últimas décadas reflete a disponibilidade e utilização de terapias altamente eficazes assim como a colocação em prática no nível nacional de programas de prevenção e tratamento", completou o estudo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro