São Paulo, SP, 19/06/2018
 
23/11/2014 - 21h33m

Iluminação adequada melhora a qualidade e conforto de ambientes

Agência Hoje/Sandra Vieira de Mello 
Divulgação

São Paulo (Agência Hoje) - A iluminação correta é um dos principais elementos para definir a qualidade do ambiente. Para escolher a lâmpada que traga a tonalidade de luz ideal para cada ambiente é preciso conhecer o uso, as dimensões e o formato do espaço. É importante também conhecer bem os tipos e características de cada lâmpada para melhor utilizá-las.

Temperatura de cor

As lâmpadas podem emitir uma luz mais amarelada, que torna os ambientes mais aconchegantes, ou luz mais azulada, que transmite sensações mais estimulantes.

As luzes amareladas, ou “quentes”, são indicadas para locais de descanso ou lazer como salas de estar, salas de jantar, salas de TV e quartos. Já as luzes brancas ou “frias” são indicadas para locais de atenção ou trabalho como salas de estudo, cozinhas, áreas de serviço e banheiros.

A “temperatura de cor” é expressa em graus Kelvin (K) variando de 2.700K (luz suave, amarelada, quente) a 6.500K (luz clara, azulada, fria).

 

 Fluxo luminoso

A quantidade total de luz emitida pela lâmpada é medida em lúmen (lm). A quantidade de luz emitida pela lâmpada deve ser escolhida conforme o tamanho do ambiente a ser iluminado.

Reprodução de cores

O Índice de Reprodução de Cores (IRC) mede a fidelidade com que as cores são reproduzidas sob uma determinada fonte de luz e sua variação é de 0 a 100. Quanto maior o IRC melhor é a reprodução de cores que a lâmpada proporciona.

Essas indicações podem ser encontradas nas embalagens das lâmpadas.

Lâmpadas incandescentes

As lâmpadas incandescentes são utilizadas há mais de um século na iluminação de ambientes e também de eletrodomésticos, como geladeiras e fogões. Esse tipo de lâmpada emite muito calor e CO2, contribuindo para aumentar o efeito estufa. As lâmpadas incandescentes de 60, 100 e 150 watts já não podem mais ser importadas ou fabricadas no Brasil. Em 2015 será a vez das lâmpadas de 25 e de 40 watts, até que toda a sua fabricação seja encerrada em 2017. A vida útil da lâmpada incandescente é de 750 horas, seu preço é acessível, porém o consumo de energia é alto.

Lâmpadas fluorescentes

A lâmpada fluorescente está no mercado desde 1938 e é usada da mesma forma que a incandescente, com a vantagem de ser aproximadamente 80% mais econômica. Possui luz branca, neutra e amarela, emite pouco calor e sua vida útil pode chegar a 10 mil horas. As lâmpadas fluorescentes possuem vapor de mercúrio armazenado no seu interior, que é prejudicial ao meio ambiente, podendo contaminar e causar danos à atmosfera.

Lâmpadas de led

As lâmpadas de led são muito utilizadas na iluminação decorativa e possuem baixo consumo energético. Não poluem, são fáceis de descartar e de reciclar e emitem pouco calor. Sua vida útil é de 50 mil horas e a sua luz pode ter diversas tonalidades. São muito versáteis e resistentes.

Lâmpadas halógenas

Possuem grande variedade de modelos e potências. Sua luz é amarelada, brilhante e intensa. Por isso é usada para iluminação decorativa de áreas internas e externas. Sua vida útil é de até 4 mil horas. O preço das lâmpadas halógenas é alto, porém possuem baixo gasto de energia.

Iluminação de cozinhas

Para a iluminação de cozinha é preciso primeiro definir se o local será usado somente para cozinhar ou também para realizar as refeições. A iluminação deve ser funcional para preparar e cozinhar a comida, e deve também criar um ambiente agradável para horas de refeição.

 

Iluminação de quartos

A iluminação em quartos deve ser flexível, pois diversas atividades são realizadas nesse ambiente. O quarto é o local de descanso, portanto a iluminação deve favorecer a sensação de repouso e relaxamento, com luz suave que não seja muito brilhante, e alguns pontos de luz para leitura.

 

Iluminação de salas

A sala de estar é o ponto de encontro da família e dos amigos. É um ambiente de múltiplos usos, onde assistimos televisão, jogamos, lemos e conversamos. As fontes de luz devem ser flexíveis, brilhantes, porém sem ofuscamento.

 

Iluminação de banheiros

A iluminação do banheiro deve prevenir ofuscamento, evitando que arandelas tenham luz muito intensa, próximas a espelhos ou objetos com materiais refletivos que podem direcionar a luz diretamente aos olhos.

 

 

* Sandra Vieira de Mello, CAU A16373-2 é Arquiteta e Urbanista.

Contribuições para esta Editoria podem ser encaminhadas para o e-mail: hoje.sandra@gmail.com

 

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro