São Paulo, SP, 16/06/2019
 
31/05/2016 - 10h32m

Israel quer discutir paz com a Palestina, diz Benjamin Netanyahu

Sputnik 
Agência Brasil/Arquivo
"Estamos prontos para discutir os ajustamentos à iniciativa com os países árabes", disse Netanyahu
"Estamos prontos para discutir os ajustamentos à iniciativa com os países árabes", disse Netanyahu

Moscou - Israel está pronto para discutir a iniciativa de paz árabe, visando a atingir a pacificação do conflito com a Palestina, informou o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

A proposta, que visa a acabar com o conflito árabe-israelense, foi adotada pela Líga Árabe em 2002. As nações árabes prometeram normalizar as relações com Israel, após o país se retirar de todos os territórios ocupados em 1967. A Iniciativa de Paz Árabe inclui elementos positivos que podem reanimar as negociações construtivas com os palestinos.

"Estamos prontos para discutir os ajustamentos à iniciativa com os países árabes, para que isso reflita as mudanças dramáticas que ocorrem na região desde 2002, mas mantendo o objetivo acordado da ‘solução de dois Estados’", declarou o premiê no Parlamento na segunda-feira (30).

O político também reiterou seu apreço pelo o presidente do Egito Abdel Fattah Sisi devido aos esforços conjuntos de renovação do processo de paz entre Israel e Palestina.

Cabe mencionar que Netanyahu já tinha feito declarações semelhantes, para diplomatas estrangeiros, pedindo à comunidade internacional que apoiasse o reinício de negociações diretas com a Palestina.

A Palestina busca o reconhecimento de seu Estado independente nos territórios na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, e na Faixa de Gaza – territórios ocupados por Israel desde 1967, na Guerra dos Seis Dias. Israel se recusa a reconhecer o Estado palestino como uma entidade independente, ao contrário de 136 dos 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU), inclusive a Rússia e o Brasil.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro