São Paulo, SP, 20/10/2019
 
16/06/2012 - 00h33m

Juiz manda soltar Carlinhos Cachoeira, mas ele continuará preso por segundo processo

Folhapress/Felipe Seligman 
Divulgação
Carlinhos Cachoeira foi libertado, mas não pode sair da cadeia ainda porque tem um segundo processo
Carlinhos Cachoeira foi libertado, mas não pode sair da cadeia ainda porque tem um segundo processo

BRASÍLIA, DF (Folhapress) - O juiz federal Tourinho Neto, do TRF1 (Tribunal Regional Federal da 1a Região) deferiu pedido de habeas corpus feito pela defesa do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso desde o final de fevereiro na ocasião da Operação Monte Carlo, acusado de comandar esquema criminoso que envolve políticos e empresários.

Ele, no entanto, não será solto, pois ainda vigora mandado de prisão expedido em decorrência da Operação Saint Michel, que investiga desdobramento do esquema criminoso no Distrito Federal.

Tourinho Neto analisou o caso sozinho. Os advogados de Cachoeira entraram com um pedido de extensão em outro habeas corpus deferido pelo magistrado na última quarta-feira, no qual mandou soltar José Olimpio de Queiroga Neto, acusado de atuar na exploração de casas de jogos no entorno do DF, seguindo esquema chefiado por Cachoeira.

Segundo Tourinho Neto, o esquema criminoso foi desfeito quando eles foram presos e as casas de jogo de azar já estão fechadas. Na decisão de Queiroga, o magistrado afirmou: "Não há mais a potencialidade, dita no decreto de prisão preventiva, que traga perturbação à ordem pública".

O advogado Augusto Botelho, que faz parte da equipe de Márcio Thomaz Bastos, afirmou que a magistrada da 5ª Vara da Justiça do Distrito Federal, responsável pela Operação Saint Michel, chegou a analisar pedido de habeas corpus na tarde de hoje, e havia indeferido.

Ele afirma, no entanto, que haverá durante o plantão deste fim de semana um pedido de reconsideração, levando em conta a decisão de Tourinho Neto. "A Operação Saint Michel é um desdobramento da Monte Carlo e estão relacionadas. Se o magistrado do TRF entende que a prisão não é necessária, também não seria no caso do Distrito Federal", disse Botelho por telefone.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro