São Paulo, SP, 19/06/2019
 
14/04/2016 - 12h49m

Líder do PT na Câmara diz que governo tem "quase" os 172 votos para barrar impeachment

Agência Brasil/Ana Cristina Campos  
Agência Brasil/Antônio Cruz
Afonso Florence reuniu-se com a presidente Dilma junto com ministros e outros parlamentares
Afonso Florence reuniu-se com a presidente Dilma junto com ministros e outros parlamentares

Brasília - O líder do PT na Câmara dos Deputados, Afonso Florence, disse nesta quinta-feira (14) que o governo tem os quase 172 votos necessários para barrar o impeachment da presidente Dilma Rousseff durante votação no plenário da Casa, no domingo (17).

"Hoje, eles [oposicionistas] não têm 342 votos. Não têm e não terão", afirmou Florence. "O governo tem quase os 172 'não'", destacou.

"E, nas ruas, o movimento pela legalidade democrática tem influenciado muito o voto de indecisos. O governo obviamente se preocupa com os indecisos. Há um trabalho de persuasão”, acrescentou o líder da legenda.

Florence deu a declaração após café da manhã no Palácio da Alvorada em que a presidenta reuniu ministros e parlamentares da base aliada.

Para que o pedido de impeachment prossiga para o Senado, dois terços (342) dos 513 deputados devem votar a favor.

“A presidente agradeceu aos membros da comissão que votaram contra a admissibilidade do processo de impeachment e reiterou que não há crime de responsabilidade. Temos trabalhado com muita parcimônia em contraposição a essa campanha de 'já ganhou' da oposição”, afirmou Florence.

Estavam presentes no café da manhã os ministros Jaques Wagner (Gabinete Pessoal), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), Armando Monteiro (Desenvolvimento e Indústria), Antonio Carlos Rodrigues (Transportes), Marcelo Castro (Saúde), Celson Pansera (Ciência e Tecnologia) e Mauro Lopes (Aviação Civil).

Bancadas divididas

O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirmou que está seguro de que o impeachment será barrado no plenário no domingo.

“Nossos levantamentos apontam que as bancadas estão muito divididas. Só tem poucos partidos fechados 100%, de um lado e de outro. Não tem risco de nós termos menos de 200 votos [no domingo] pelos cálculos e pelos contatos [que fizemos]. Eles [oposicionistas] não têm os 342 votos. Vamos fazer mais contato, mais diálogo para convencer que nós temos votos para derrotar o impeachment”, disse Guimarães, que também participou do café da manhã.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro