São Paulo, SP, 24/06/2019
 
14/06/2012 - 21h44m

Longe da crise europeia, Brasil oferece moda com luz e cores

AFP/Natalia Ramos 
©AFP / Yasuyoshi Chiba
Desfile de Ronaldo Fraga
Desfile de Ronaldo Fraga
  • Maiô de Adriana Degreas

SAO PAULO (AFP) - Estampas tropicais, transparências, cores vibrantes e tecidos vaporosos se destacam na São Paulo Fashion Week (SPFW), que ignorou o clima internacional de crise econômica e lançou coleções alegres e luminosas na maior passarela latino-americana.

Rosa, laranja, verde, turquesa, dourado e branco; pulseiras, colares com pedras e brincos grandes; aves tropicais, sementes do Amazonas e baianas foram as chaves da semana de moda, que exibe as coleções para o verão 2012-2013 de 30 estilistas.

Com peças de corte reto ou sem costura, Tufi Duek recorreu a uma paleta ousada de amarelos, fúcsias e corais em vestidos e blusas, que contrastou com calças brancas e pretas.

O renomado Alexandre Herchcovitch usou o xadrez e tons fortes, e lançou uma proposta inspirada no astro britânico dos anos 1980 Boy George. Com penteados volumosos, as modelos apresentaram peças em algodão ou seda, com desenhos geométricos e cores flúor.

Ronaldo Fraga, que voltou à São Paulo Fashion Week após um ano de ausência, inspirou-se na obra do poeta Mário de Andrade e em suas próprias viagens para o norte do Brasil, evocando uma terra exuberante, com criações em linho, algodão, seda e peças de marchetaria.

Um ponto alto de seu aplaudido desfile foram as "biojoias", criadas por artesãs do norte do país, com as quais Fraga desenvolveu projetos de cooperação e economia sustentável.

"Nesta época de crise mundial, lançar coleções cheias de cor permite pensar que, em algum momento, poderemos sair do fundo do poço. É uma mensagem de otimismo", disse Camila Toledo, diretora no Brasil do site www.stylesight.com, empresa de consultoria em tendências.

Na moda praia, Adriana Degreas causou impacto com um verão dourado. Túnicas de mousseline, maiôs de lamê e muita transparência, em uma coleção inspirada no estado da Bahia.

Estampas de fotos de escravas sobre túnicas dominaram os primeiros looks do desfile, em que se destacaram hotpants com detalhes dourados e outras peças que ressaltaram uma silhueta dos anos 1950 bastante feminina.

A marca Movimento também foi aplaudida, com uma coleção inspirada "na poesia e nas cores do trópico", com estampas chamativas em rosa e verde, que se misturaram a acessórios que remetiam ao mundo "forte" dos militares, descreveu a estilista Tininha da Fonte.

"O Brasil está melhorando, o país está crescendo, tem que ser um verão alegre", comentou, sobre o bom momento do Brasil, que contrasta com a crise na Europa.

A marca Água de Coco foi mais longe buscar sua inspiração, e apresentou um desfile com influência da Turquia, em que as túnicas voltaram a ser destaque.

A Iódice também recorreu a cores fortes, como azul, amarelho e fúcsia, mas não descartou propostas em preto.

A Fórum voltou à SPFW após anos de ausência, com uma coleção colorida e estampas marítimas e de frutas cítricas. Misturas de laranja com amarelo e desenhos geométricos em vermelho, branco e preto foram as principais apostas da marca.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro