São Paulo, SP, 11/11/2019
 
02/12/2016 - 22h10m

MEC espera mais de 270 mil candidatos nas provas do Enem neste final de semana

Agência Brasil/Mariana Tokarnia 
Agência Brasil/Arquivo
Mais de 270 mil candidatos se preparam para provas do Enem nos dias 3 e 4 de dezembro
Mais de 270 mil candidatos se preparam para provas do Enem nos dias 3 e 4 de dezembro

Brasília - Neste final de semana, dias 3 e 4, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será aplicado para 277.624 candidatos impedidos de fazer a avaliação nos dias 5 e 6 de novembro. O esquema da segunda aplicação será semelhante ao da primeira.

Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília. As provas começam a ser aplicadas às 13h30.

No primeiro dia, os candidatos terão quatro horas e 30 minutos para responder a 90 questões das áreas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias. No segundo dia, serão cinco horas e 30 minutos para as provas de redação, linguagens, códigos e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias.

Os locais de prova estão disponíveis na Página do Participante e no aplicativo do Enem 2016, nas plataformas Android, iOS e Windows Phone.

O estudante deve levar um documento original com foto válido e caneta esferográfica preta fabricada em material transparente. É proibido o uso de qualquer equipamento eletrônico. Celulares devem ser desligados e colocados dentro em embalagem porta-objetos fornecida pelo aplicador.

Gabarito e Resultado

Os gabaritos das provas serão divulgados na quarta-feira (7) na Página do Participante e por meio do aplicativo Enem 2016. Os resultados estarão disponíveis para todos os candidatos, tanto os que fizeram a primeira quanto os que participaram da segunda aplicação, no dia 19 de janeiro.

Segunda Aplicação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) ao todo, as provas serão aplicadas em 165 municípios e 418 locais de prova. Não haverá exame apenas em quatro estados: Roraima, Acre, Amazonas Amapá.

Do total de candidatos que farão a segunda aplicação, 273.521 (98,52%) não puderam participar do Enem regular por causa das ocupações em escolas, universidades e institutos federais, e 4.103 (1,47%) foram afetadas por contingências como a interrupção do fornecimento de energia elétrica.

Minas Gerais tem o maior número de inscritos para a segunda aplicação: 72.302 pessoas. Outras unidades federativas que se destacam são o Paraná (43.617), a Bahia (37.927), o Espírito Santo (23.486), Pernambuco (17.155) e o Rio de Janeiro (16.451).

As provas serão diferentes daquelas aplicadas no início do mês, mas manterão o nível de dificuldade, o que, de acordo com o Inep, garantirá a isonomia entre os candidatos.

Vazamento

Ontem (1º) o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) divulgou relatório da Polícia Federal no qual a PF constata que as provas do Enem vazaram para pelo menos dois candidatos, que foram presos e estão eliminados do exame.

O Ministério da Educação (MEC) afirma que o exame não será cancelado e que a punição se restringirá aos envolvidos. O MEC garante ainda que a aplicação neste final de semana está mantida.

JUSTIÇA FEDERAL INDEFERE PEDIDO DO MPF E GARANTE PROVAS

Brasília (Agência Hoje/Edmundo Fortes)  - O Tribunal Regional Federal da 5ª Região indeferiu nesta sexta-feira, 2, o pedido do MPF e manteve inalterada a programação de provas do Enem 2016 para o fim de semana. Em consequência, a validade do exame deste ano está garantida.

O desembargador federal Ivan Lira de Carvalho considerou que não houve vazamento da questão dissertativa, já que para ele o tema da redação deste ano não é o mesmo que apareceu em imagem de prova falsa divulgada em 2015 pelo Ministério da Educação.

“Como bem afirmou o magistrado de primeiro grau, a mera menção a assunto assemelhado ao exigido no Enem de 2016 em prova falsa, divulgada em 2015, não implica, nem de longe, que tenha havido uma violação do sigilo do exame de seriedade suficiente para comprometer todo o resultado do certame”, escreveu o desembargador, em sua decisão. “O elemento-surpresa necessário para a realização da prova com isonomia entre os candidatos foi mantido."

Em sua conclusão, Ivan Lira de Carvalho acrescentou: “apesar de os temas partirem do mesmo assunto, eles apresentam abordagens diferentes. A intolerância religiosa no Brasil apresenta peculiaridades e características próprias, não se manifestando, necessariamente, da mesma forma que nas demais partes do mundo”.

O procurador Oscar Costa Filho é o mesmo que tentou cancelar a prova do Enem de 2016, antes de sua realização, em 5 e 6 de novembro, e teve o pedido negado pela Justiça. Ele também divulgou, na quinta-feira, parte do inquérito da Polícia Federal sobre as fraudes no exame que ainda está em fase de investigação e solicitou o cancelamento das provas realizadas este ano.

O MEC garante que o Enem está preservado, que houve um fato isolado, que não vai prejudicar milhões de brasileiros com relação a uma tentativa de fraude. Foi uma ação isolada, identificada pela Polícia Federal, que atuou de forma articulada com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pela realização do exame.

* Com informações do Portal Brasil

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro