São Paulo, SP, 22/09/2019
 
13/09/2013 - 14h41m

Medicina preventiva ajuda paciente na cura de doenças graves

Agência Hoje 
Agência Brasil/Arquivo/Marcelo Camargo
Exames preventivos medem quantidade de monóxido de carbono no organismo
Exames preventivos medem quantidade de monóxido de carbono no organismo

São Paulo (Agência Hoje) - A medicina preventiva está ganhando mais espaço entre os brasileiros, em todos os níveis sociais, de acordo com levantamento feito pelo Ministério da Saúde. Nas capitais e nas cidades com mais de 100 mil habitantes, essa tendência já é responsável por influenciar médicos na hora de fazer diagnósticos e indicar tratamentos.

De acordo com publicação do Ministério, "a sabedoria popular diz que 'prevenir é melhor do que remediar'. Nas últimas décadas, a chamada medicina preventiva e social vem comprovando cientificamente a afirmação".

Estabelecida formalmente a partir dos anos 1960 nos Estados Unidos, essa especialidade tem como objetivo principal proporcionar melhor qualidade de vida aos cidadãos ao prever, evitar e tratar eventuais enfermidades antes que elas se manifestem plenamente.

As doenças que mais matam os brasileiros – como câncer, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e enfermidades ligadas ao sistema respiratório – são justamente aquelas que mais se beneficiam da antecipação do diagnóstico. As chances de cura de um câncer, por exemplo, costumam ser muito maiores quando ele é encontrado em sua fase inicial.

Os médicos dessa área costumam utilizar um número grande de ferramentas para detectar problemas nos pacientes. As mais comuns são os exames físicos e clínicos que conseguem apontar tendências a determinadas enfermidades, como problemas no sistema cardiovascular ou alterações nos índices de glicemia e colesterol – que indicam a possibilidade de diabetes e problemas circulatórios, entre outros.

O histórico familiar e os hábitos sociais do cidadão também ajudam na prevenção. Uma pessoa que tenha, por exemplo, muitos casos de câncer na família deverá ser submetida a exames mais específicos para eventualmente buscar algum tipo de problema parecido. Já as pessoas que não fazem exercícios, fumam, comem de maneira inadequada ou vivem sob estresse são orientadas a alterar a própria rotina para evitar enfermidades normalmente associadas a esses hábitos.

Mesmo quando os exames não identificam doenças, os médicos costumam orientar os pacientes a terem uma vida mais saudável e com menos riscos. Em determinados casos, apenas a adoção de hábitos simples de higiene, como lavar as mãos e escovar os dentes com frequência trazem ganhos significativos de saúde para o cidadão.

Qualquer pessoa pode e deve procurar a prevenção, não importa a idade, a condição de saúde ou o sexo. Basta procurar um clínico geral ou um especialista em medicina preventiva para que ele oriente sobre a necessidade de realização dos exames. O ideal é que os testes sejam realizados anualmente.

Para as mulheres, são especialmente indicados os exames ginecológicos periódicos e os testes para detectar o câncer de mama e do colo de útero, além dos cuidados especiais no período de gestação. Os homens não podem se descuidar da próstata, a partir dos 40 anos, e devem ter especial atenção com o coração em todas as fases da vida.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro